História incrível que chega da Dinamarca, na #Europa. Uma menina de 15 anos, Lisa Borch, matou a própria mãe, com mais de vinte facadas, após se tornar obcecada pelo Estado Islâmico. A garota ficou assistindo vídeos online com islamistas decapitando seus reféns e uns minutos depois apunhalou a mãe com faca de cozinha. Primeiro ainda ficou acusando um homem branco que viu fugir de casa, quando ligou para polícia, mas acabou sendo descoberta e culpada pela morte da mãe e fica na cadeia nos próximos nove anos. 

A menina se tornou aficionada do #Estado Islâmico por culpa de um namorado com quem saiu, um muçulmano radical. A relação com o extremista deixou a menina com novos ideais terroristas.

Publicidade
Publicidade

O namorado deixou ela de coração destroçado e voltou para Suécia. Mas nem por isso ela renunciou as novas ideologias. Voltou a se apaixonar e novamente por um islamista. Desta vez, foi Bakhtiar Mohammed Abdulla, iraquiano de 29 anos, que ajudou ela cometendo esse crime. Também ele está na cadeia e vai cumprir treze anos de reclusão. Quando terminar a pena será expulso do país. 

Lisa e Abdulla se conheceram em um centro de refugiados perto de casa, na Dinamarca. Juntos ficaram assistindo vídeos islamistas e minutos depois, mataram a mãe. Não ficou provado no tribunal quem desferiu as facadas, mas foram os dois condenados a penas de prisão efetivas. Ela vai cumprir o primeiro ano em um reformatório e depois seguirá para uma prisão de adultos. 

Após matar a mãe, Lisa ligou para polícia gritando que via muito sangue e que viu um homem branco saindo de casa.

Publicidade

Quando os policiais chegaram no local, estranharam a calma da menina mesmo com todo o sangue e o cadáver da mãe, que até ficou olhando para o celular por muito tempo. Na investigação, encontraram todas as provas no computador dela e juntaram as pontas, até as acusações finais. 

A investigação acabou provando a culpa de Lisa que no tribunal até acusou o namorado de ter dado as facadas. Ele se defendeu dizendo que só foi na casa no fim, para ajudar ela. Os policiais encontraram impressões digitais dele no quarto da mãe de Lisa. 

Mais tarde, ficou provado em tribunal que eles mataram a mãe de Lisa para fugirem juntos para Síria e se juntarem ao Estado Islâmico. É que ela não concordava com essa relação e queria que Lisa terminasse com Abdulla, por ser bem mais velho que ela. Ficam na cadeia nos próximos anos.