A menina Sofia Gonçalves de Lacerda, que nasceu com uma doença rara chamada síndrome de Berdon e foi alvo de uma campanha de ajuda nas redes sociais, morreu na madrugada da última segunda-feira (14) nos Estados Unidos.

Sofia de apenas um ano e oito meses, foi submetida a três cirurgias no decorrer de sua vida, mas precisava passar por um transplante multivisceral, não realizado no Brasil. Segundo o advogado da família, a pequena foi para os Estados Unidos com ajuda de uma campanha feita pela mãe Patrícia Lacerda nas redes sociais e com o apoio do governo.

De acordo com o portal G1, a pequena Sofia recebeu todos os aparatos necessários para o tratamento ao chegar a Miami nos Estados Unidos, mas a menina ficou internada na UTI por mais de um mês, por ter contraído um vírus depois de passar pelo transplante multivisceral, realizado no mês de maio de 2015.

Publicidade
Publicidade

O advogado da família Miguel Navarro, confirmou todas as informações necessárias e falou que o quadro da menina piorou bastante uns dias antes da sua morte.

No domingo (13) antes da morte da pequena, sua mãe Patrícia publicou em uma rede social dizendo que só um milagre salvaria a vida de Sofia, e pediu para os seguidores da menina que “intensificassem as orações em prol da vida da pequena”.

Segundo os médicos do Jackson Memorial Hospital, onde a pequena ficou internada na UTI falaram que o quadro dela se agravou devido uma infecção pulmonar após os órgãos, estômago, fígado, pâncreas, intestino delgado e o intestino grosso serem transplantados, contraindo um vírus resistente chamado citomegalovírus.

Cremação

O advogado da família de Sofia disse que por volta das 05h00min da manhã, Patrícia Lacerda mãe da pequena ligou dizendo que queria cremar a filha nos Estados Unidos; mas ele não saberia dizer ao certo se a vontade da mãe ainda era a mesma, pois tanto a mãe quanto o pai da menina estavam sedados na casa de amigos em Miami. 

O advogado também disse que se caso os pais decidissem trazer o corpo de Sofia para o Brasil, a liberação do corpo deveria ocorrer em no máximo quatro dias.        

Comoção

 A morte da pequena Sofia deixou o Brasil em luto.

Publicidade

A repercussão da morte abalou todos que a acompanhava, diversas mensagens de condolência a família foi feita nas redes sociais.

A menina era muito querida, todos intercediam por sua melhora, quando foi publicada a nota de falecimento na página “Ajude a Sofia”, todos que a acompanhava deixaram mensagens de apoio à família. Dentre as diversas mensagens que chegava na página a pequena Sofia era chama de “anjo”.

Os pais da pequena foram elogiados por nunca desistir da vida de Sofia. #Medicina #EUA #Organização Mundial de Saúde