Nesta terça-feira, 1, foi realizo encontro entre representantes de #China e Venezuela, em Pequim, capital chinesa. O presidente Nicolás Maduro e o primeiro-ministro chinês Xi Jinping, anunciaram que o país sul-americano receberá aporte de cinco bilhões de dólares que, segundo anunciado pela TV estatal venezuelana e pela TV Pública da China, serão utilizados para investimentos na produção de petróleo, com objetivo de garantir a demanda para os próximos meses e anos.

A Venezuela passa por instabilidade institucional por causa da oposição ao governo, com protestos, greves e reivindicações da população nas ruas por melhorias no abastecimento, emprego e distribuição de renda.

Publicidade
Publicidade

Os manifestantes também querem ter uma maior participação nas decisões importantes do país. Reflexo da instabilidade venezuelana é a escassez de mantimentos em supermercados e fornecedores de produtos, elevando o custo de vida para a população e jogando a inflação para patamares elevados.

Neste ambiente, e contando com apoiadores do governo, Nicolás Maduro iniciou agenda de visitas para buscar investimentos para o país. Além de China, a agenda do mandatário venezuelano também consta uma visita ao Vietnã.

CHINA AVANÇA PARA MERCADOS EMERGENTES

Após notícias sobre a desaceleração da economia chinesa, e seus resultados econômicos que afetam o mundo todo, inclusive, as bolsas de valores, o governo chinês ampliou sua agenda diplomática e iniciou uma série de visitas para países emergentes. Em cada país que a comitiva vai, sempre é anunciado acordos bilaterais e a injeção de capital para compra de matérias-prima e commodities. O Presidente Xi Jiping já esteve na Argentina, Venezuela, Cuba e Brasil.

Publicidade

No Brasil, a visita foi em junho e a comitiva chinesa, formada por políticos e empresários, anunciaram acordo de US$ 53 bilhões de investimento em logística para melhorar o escoamento da produção brasileira de matéria-prima, que são enviados pelos portos para o continente asiático.

Em novembro de 2008 e julho de 2015, a China também realizou duas visitas de estado em Cuba, para se encontrar e estreitar laços com Raúl Castro, em Havana. Os temas dos encontros foram o reforço das relações bilaterais e o avanço do desenvolvimento integrado entre as duas nações. #Negócios #Mercosul