Nesta quinta-feira (24) centenas de pessoas foram mortas e mais de 800 ficaram feridas durante a peregrinação anual de fiéis islâmicos a Meca, na Arábia Saudita, segundo informações da Defesa Civil, através das agências internacionais de notícias. 

A última informação da Reuters é de que houve 717 mortos e 805 feridos. O tumulto ocorreu na Rua 204 de Mina, onde ficam hospedados a maior parte dos peregrinos durante vários dias do "Hajj" (o nome dado ao ritual de peregrinação que deve ser feito por todo muçulmano ao menos uma vez na vida para ir a Meca, desde que disponha de condições financeiras e de saúde). 

Segundo as autoridades locais, o tumulto foi ocasionado pela superlotação de fiéis, culminando em pânico e fuga em massa dos peregrinos.

Publicidade
Publicidade

"Falta de disciplina dos fiéis", resumiu um ministro saudita, o motivo principal pela confusão. 

A tradição diz que deve haver um "apedrejamento do diabo" que é feito quando os fiéis jogam pedras em três grandes pilares. O epicentro da confusão teria sido próximo a essas pilastras, quando um número de fiéis teria tentado se aproximar ao mesmo tempo do local de apedrejamento, fazendo com que os peregrinos fossem acometidos de uma repentina reação de pânico claustrofóbico. 

Houve vítimas de várias nacionalidades, segundo as autoridades locais. Não há registro de brasileiros de acordo com o Itamaraty.

Infraestrutura

O governo tem investido bilhões de dólares em segurança e infraestrutura para modernizar e garantir a segurança dos fieis que participam anualmente do Hajj. Todos os anos, cerca de 3 milhões de pessoas fazem o percurso religioso a Meca.

Publicidade

Aumento na altura dos pilares de apedrejamento, construção de pontes elevadas em torno dos locais de peregrinação e túneis de acesso aos locais sagrados têm sido os investimentos do governo saudita. 

De acordo com a Defesa Civil, seis equipes de salvamento se alternam no socorro aos feridos e recolhimentos dos mortos. 

Irã

O Irã atribuiu a tragédia a falhas de segurança. "Por motivos desconhecidos fecharam um acesso ao local no qual os fiéis cumprem o ritual de apedrejamento de satã", afirmou o diretor da organização iraniana do Hajj, Said Ohadi.

O que é o ritual?

Hajj é o nome dado à peregrinação realizada à cidade santa de Meca pelos muçulmanos. É considerada como o último dos "Cinco Pilares do Islamismo, sendo obrigatória, pelo menos uma vez na vida, para todo o muçulmano adulto, desde que este disponha dos meios econômicos e goze de saúde. Cerca de dois milhões de pessoas de todos os pontos do planeta o realizam anualmente. 

O ritual de apedrejamento consiste em jogar 21 pedras (sete em cada pilar representando cada um a figura de Satã) no primeiro dia do "Eid al-Adha" (Grande Festa ou Grande Sacrifício). É feito setenta dias após o Ramadã, que é o jejum islâmico de restrição alimentar, acompanhado de meditação e orações.  #Religião #Violência #Blasting News Brasil