#Cristiano Ronaldo quis novamente dar um exemplo humanitário. Como informa o site “Notícias ao Minuto”, Ronaldo fez questão de estar algum tempo com a família da Síria que, tentando fugir da guerra em seu país, foi maltratada não pelos policiais, mas sim por uma jornalista húngara, que chutou várias vezes um sírio que estava transportando Zaid, um menino com cerca de cinco anos. Com uma mensagem política muito forte dirigida a toda a Europa, Ronaldo recebeu o garoto e toda a sua família que já se encontram a salvo em Espanha.

Considerado o esportista mais solidário do planeta, Cristiano Ronaldo não conseguiu ficar de fora dessa crise de refugiados que está matando milhares de pessoas todos os meses na Europa.

Publicidade
Publicidade

O português voltou a mostrar seu lado mais solidário quando, juntamente com o Real Madrid e seus colegas de trabalho, decidiram ajudar uma família que estava em grandes dificuldades para fugir à guerra civil que está ocorrendo nesse momento na Síria e que está matando milhões de pessoas inocentes.

Por sorte, o pai de Zaid era um bom treinador de futebol na Síria, tendo como principalmente objetivo chegar a Espanha para começar treinando um time. Devido ao episódio em que uma jornalista húngara os agrediu violentamente, sua história foi matéria em todo o mundo e Cristiano Ronaldo parece ter sido dos primeiros a querer ajudar uma família que não estava conseguindo passar pela Hungria, visto que o país fechou completamente suas fronteiras para a entrada de milhares de refugiados que estão morrendo de fome, como afirma a imprensa internacional.

Publicidade

Ao mesmo tempo que recebeu Zaid e sua família, realizando assim um dos maiores sonhos do menino, Cristiano Ronaldo decidiu mostrar, para as fotografias, uma camiseta branca com uma mensagem a favor da entrada de refugiados na Europa. Como já demonstrou anteriormente, Ronaldo sempre defendeu os mais fracos e quem mais precisa e nesse caso dos refugiados, apesar de eles serem um grande desafio para a Europa atual, que está atravessando crises econômicas e sociais, não pode esquecer qual é seu compromisso: ajudar e receber sempre quem mais está precisando de ajuda. #Futebol Internacional