Desde o início da semana chegaram mais de 20 mil imigrantes a Croácia, número crescente devido a construção do muro de arame farpado construído na fronteira da Hungria com a Sérvia. Desde então, o país húngaro vem oprimindo a entrada de qualquer tipo de imigrante com bombas de gás lacrimogêneo e canhões de água para oprimir a passagem, bloqueando assim, todas as rotas para a #União Europeia.

Após a construção do muro, o ministro Croata, alegou que o país receberia os refugiados, e lhes daria atendimento médico, comida, antes de deixá-los seguir para os destinos de origem, países como Alemanha, Itália e Inglaterra. Porém, na última sexta-feira (18), o governo anunciou que não tem mais capacidade para abrigar a enorme quantidade de refugiados que estavam tentando se abrigar e passar pelo país — cerca de 4 mil por dia — e pediu ajuda para a União Europeia, que ainda não realizou nenhuma conferência, ou se pronunciou sobre o assunto.

Publicidade
Publicidade

“Não houve acordo (com a Hungria). Nós os forçamos, ao enviar pessoas para lá. E vamos continuar a fazer isso” disse o ministro Milanovic aos jornalistas na cidade de Beli Manastir, de onde estão saindo vários ônibus todos os dias, com direção ao país. Na mesma manhã do anúncio, o país tinha erguido mais um muro de arame farpado nos 41 quilômetros da fronteira com a Croácia. Quando questionado obre o assunto Milanovic foi cético “Fronteiras podem ser fechadas somente pela força bruta, e isso significa matar.”

O fato de ter mandado os refugiados, ou tentado mandá-los de volta, deu margem para que o país bombardeasse o país de ceticismo publicamente, o que certamente causará danos na imagem da Croácia, para com a União Europeia. O país havia mentido sobre receber refugiados, e oferecer abrigo, Peter Szijjarto acusou o país vizinho de "violar a soberania húngara" ao enviar imigrantes pela fronteira acompanhados de policiais croatas.

Publicidade

"Em vez de acolher honestamente só imigrantes, eles os enviam direto para a Hungria", disse o premiê. "Que tipo de solidariedade europeia é essa?"

"De novo, a Hungria foi abandonada", afirmou. "Vamos defender a União Europeia, os limites do espaço Schengen, e vamos defender a Hungria de acordo com as regras europeias", declarou Szijjarto aos jornalistas.

 A nova justificativa húngara é alegar que a Croácia tenha violado o acordo de fronteiras presente na União Europeia, e foi decidido tornar o acontecimento público em forma de uma jogada política, se os croatas não faziam o certo, por que deveriam os húngaros?

Foram chamados 500 soldados reservistas húngaros para render os que já foram mobilizados ao longo da fronteira ao sul do país.  Com isso, o porta voz Zoltan Kovacs, disse numa coletiva de imprensa que os croatas estavam violando o tratado de proteger as fronteiras da UE, tratado que parece ter ficado obsoleto para vários países, menos para eles. “A Croácia está desapontando não só a Hungria, mas a UE, e tem deixado de lado todos os compromissos legais que unem o bloco”, disse ele.

Publicidade

A Hungria declarou uma guerra de palavras com países que agora tentam de todas as formas abrigar os refugiados oriundos do Oriente Médio, cuja única necessidade é ter as fronteiras abertas para poder chegar a Alemanha. #Europa #Crise migratória