Considerado um dos maiores traficantes do mundo, Mário Sérgio Machado Nunes, conhecido no meio policial como Goiano, foi preso na cidade do Guarujá, litoral de São Paulo, onde passava férias em um condomínio de luxo.

Goiano liderava uma quadrilha internacional de tráfico de drogas e é considerado hoje um dos maiores traficantes do mundo.

Conhecido e procurado, o criminoso investiu nas cirurgias plásticas e em uma peruca para tentar despistar as autoridades, e chegou a negar ser o criminoso procurado, mas não conseguiu manter a farsa para os policiais que vinham monitorando os passos da quadrilha pelo Brasil.

Com fortes laços comerciais com os maiores traficantes do mundo, Goiano ficou conhecido e ganhou fama quando se associou ao colombiano Pablo Escobar, um dos maiores traficantes da história, quando chefiava o cartel de Medelln na década de 1980.

Publicidade
Publicidade

Os passos de Goiano também estavam sendo seguidos pela Polícia Federal, e era investigado na operação Águas Profundas que em 2012 indiciou e emitiu 10 mandados de prisão e somente Goiano ainda não havia sido capturado.

As apurações da Polícia Federal, concluíram que o acusado tinha sua base em Goiás e distribuía drogas para mais de 30 países, chegando a financiar a construção de um submarino para enviar entorpecentes para a Europa - e ainda constava em seus planos, a compra de um avião de grande porte explica o delegado Carlos Batista, o que demonstra a capacidade financeira da organização.

A droga, que sairia da Venezuela, com destino ao Suriname, e posteriormente para o alto mar onde seria transferida para o submarino da organização com destino a África, de onde seria distribuída para toda a Europa.

Publicidade

 O traficante mantinha laços com o litoral paulista, pois era do Porto de Santos que grande parte das drogas seguiam para o destino escolhido pela quadrilha. Nos últimos meses a Polícia Federal, fez 3 grandes apreensões no Porto e investiga a participação do grupo liderado por Goiano.

O traficante foi levado para o Centro de Detenção Provisória de Pinheiros na capital Paulista por policiais do DENARC, que efetuaram sua prisão e deverá ser transferido em breve para outra unidade prisional. #Justiça #Corrupção #Casos de polícia