A presidenciável Hillary Clinton criticou o presidente chinês, Xi Jinping por co-organizar uma conferência sobre os direitos das mulheres com as Nações Unidas. “Ele pune ativistas dos direitos das mulheres em seu próprio país e organiza uma reunião sobre os direitos das mulheres na ONU enquanto persegue feministas? Falta de vergonha!" Clinton twittou domingo.

Clinton estava se referindo aos casos de cinco mulheres ativistas chinesas - Wei Tingting, Wu Rongrong, Li Tingting, Wang Man e Zheng Churan - que foram detidas em março por fazer campanha contra o assédio sexual. Embora a #China as tenha liberado sob fiança 37 dias mais tarde, o calvário continua. As cinco mulheres estão sujeitas à fiscalização por um ano, suas atividades restritas e a polícia pode chamá-las para interrogatório a qualquer momento. 

“METADE DO CÉU” 

O presidente chinês, Xi Jinping se comprometeu, "Reafirmamos nosso compromisso com a igualdade de gênero e desenvolvimento das mulheres" disse ele na reunião de cúpula da ONU, domingo (27). Xi invocou uma famosa linha de Mao Tse Tung que diz, "As mulheres sustentam metade do céu" e prometeu US$ 10 milhões para a agência da ONU para as mulheres. "Como o povo chinês busca uma vida feliz, toda mulher chinesa tem as oportunidades para se destacar na vida e fazer de seu sonho uma realidade.

Publicidade
Publicidade

A China vai fazer mais para melhorar a igualdade de gênero com uma política estatal básica, dar  para as mulheres um papel importante como metade do céu e apoiá-las na realização de seus próprios sonhos e aspirações, tanto na carreira quanto na vida", disse Xi. 

PROJETOS – EDUCAÇÃO E SAÚDE 

Para enfatizar a posição crescente da China no cenário mundial, Xi também prometeu ajudar a construir projetos de escolaridade e de saúde para as mulheres e meninas em países em desenvolvimento. Em programas financiados conjuntamente pela China e as Nações Unidas, a China vai ajudar as mulheres de outras partes do mundo em desenvolvimento para construir habilidades, prometeu o líder chinês. 

VIOLAÇÃO DA LEI

Segundo a imprensa chinesa, Li Junhua, diretor-geral do Departamento de Assuntos Internacionais do Ministério das Relações Exteriores, comentou no domingo que as ativistas "foram presas não porque elas não estavam lutando pelos direitos das mulheres, mas porque elas violaram a lei." 

A #Violência doméstica é uma das questões-chave das cinco ativistas anteriormente detidas que "violaram a lei” usando vestidos de casamento salpicados de sangue. 

DEFENSORA DAS MULHERES 

Clinton, que está fazendo uma segunda corrida eleitoral para se tornar a primeira mulher presidente dos Estados Unidos, tem atuado como uma defensora de longa data da igualdade de gênero.

Publicidade

Na conferência de 1995, em Pequim, como primeira-dama, Clinton fez um discurso histórico sobre as violações dos direitos das mulheres em todo o mundo. Desde que anunciou sua candidatura em abril, ela fez dos direitos das mulheres a bandeira da sua campanha presidencial de 2016.

"O que estamos aprendendo é que se as mulheres são saudáveis ​​e educadas, suas famílias irão florescer", ela disse em seu discurso de 1995. "Se as mulheres estão livres de violência, as suas famílias se desenvolverão",  disse a candidata.  #EUA