Como muitas das cidades que passaram por um processo de industrialização rápido e massivo, Pequim sofre com níveis elevados de poluição atmosférica. Cercada por fábricas, muitas delas movidas a carvão, a cidade tem buscado formas eficientes para prever e controlar a qualidade do ar, que tem provocado tanto o meio ambiente quanto sua população. Uma dessas soluções foi proposta e está sendo testada pela IBM.

A #China tem se comprometido a melhorar a qualidade do ar e reduzir os níveis de poluição em dez porcento até 2017. Em abril último, uma organização ligada ao Greenpeace, o Greenpeace East Asia, avaliou a situação de 360 cidades chinesas.

Publicidade
Publicidade

Tal avaliação constatou que em 351 dessas cidades os níveis de poluição extrapolavam os próprios critérios dos chineses, cuja média chega a mais de duas vezes e meia o recomendado pela #Organização Mundial de Saúde.

Os pesquisadores da IBM montaram um sistema que, alimentado com grandes quantidades de dados das condições do ar da capital chinesa, é capaz de aprender com eles e fazer previsões a partir da geração e comparação com diferentes modelos computacionais com até 72 horas de antecedência. "Nossos pesquisadores no momento estão expandindo a capacidade do sistema para que ele possa prover previsões de médio e longo prazo", disse Xiaowei Shen, diretor do centro de pesquisas.

A IBM tem se dedicado com afinco ao desenvolvimento de inteligência artificial para auxiliar diversas áreas e indústrias.

Publicidade

Recentemente, a empresa adquiriu bilhões de imagens médicas para ajudar no processamento e aprimoramento de sistemas capazes de ajudar no diagnóstico de doenças por imagem.

Chamado de Green Horizon — "Horizonte Verde", em inglês —, o projeto chinês de previsão de poluentes visa desenvolver o que a IBM chama de "computação cognitiva", onde o sistema aprende a partir dos dados disponíveis. O sistema também pode oferecer recomendações a respeito de como reduzir as taxas de poluentes até limites aceitáveis, como por exemplo sugerir o fechamento temporário de fábricas e rodovias até que a qualidade do ar se estabilize.