Imigrantes provenientes da Hungria e Áustria continuam chegando na Alemanha neste domingo, 06 de setembro. Segundo a agência de notícias internacional Reuters, o país húngaro reteve os imigrantes por dias, enquanto a União Europeia decide como lidar com esta #Crise mundial. O bloco não sabe como proceder diante do alto fluxo de pessoas que saem todos os dias do Oriente Médio, África e Ásia. A maioria dessas pessoas são refugiados da guerra civil na Síria.

A polícia da Áustria confirma que mais de 6 mil refugiados haviam entrado no país até o fim da tarde de sábado, dos quais a maioria embarcava para Munique, na Alemanha, logo em seguida.

Publicidade
Publicidade

Trens especiais estão fazendo este trajeto, após Alemanha e Áustria aceitarem receber os refugiados provenientes da Hungria, que por sua vez, ordenou que essas pessoas se registrassem com pedido de asilo no país, seguindo orientações da União Europeia. Ontem, sábado, aproximadamente 7 mil refugiados entraram na Alemanha, e mais 5 mil devem entrar ainda neste domingo, segundo a polícia local.

Quanto a este assunto, a #Europa está dividida. Enquanto a Alemanha apela para que outros países também acolham os refugiados, alguns defendem que o foco deve ser a resolução dos conflitos que dominam o Oriente Médio, principal motivo para as pessoas abandonarem seus lares e buscarem apoio em outro país. A França, por exemplo, é um dos que apresentam resistência ao abrigo dos imigrantes, pois uma pesquisa feita por um jornal do país apontou que cerca de 55 por cento da população do local é contra a abertura das fronteiras e a facilitação da entrada desses imigrantes.

Publicidade

Na manhã deste domingo, o papa Francisco fez um forte apelo às paróquias europeias. O pedido é para que cada uma abrigue pelo menos uma família de refugiados.

Desde as guerras na Iugoslávia em 1990, o mundo nunca havia se deparado com uma crise migratória tão grave. Para se ter uma ideia da gravidade do problema, a Alemanha espera receber apenas este ano, mais de 800 mil refugiados. É preciso agir rápido, antes que o problema se torne incontornável. #Governo