Os 193 Estados-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) falam sobre diversos temas, desde o desenvolvimento sustentável até assuntos humanitários e políticos no encontro chamado de Cúpula de Desenvolvimento Sustentável de 25 a 27/09/2015 em Nova York. Compareceram mais de 150 líderes e governantes de todo o mundo, os quais esperam obter acordos preciosos para os seus países e que visem à unidade e o equilíbrio entre as nações internacionalmente. O recém reeleito 1.º Ministro grego do Syriza, Aléxis Tsipras, não poderia faltar ao encontro e fez um discurso enfático na ONU em 27/09, sobre o problema da dívida grega e de como isto deve ser encarado com os países ricos.

Publicidade
Publicidade

Tsipras questionou de como pode ser assegurado que nos próximos 15 anos não se repetirão os mesmos erros de outrora, sejam 15 anos antes ou 15 anos depois de transcorrido esta data. “Fala-se cada vez mais do conceito de desenvolvimento sustentável, da eliminação total da pobreza no mundo e de temas desafiadores como segurança, economia, meio ambiente e pessoas inclusos em um contexto regional ou mesmo global, mas o que acontecerá com toda esta série de acontecimentos e variáveis entrelaçadas... as condições mundiais melhorarão ou se agravarão?”, indaga Aléxis. 

O político de esquerda destacou no seu pronunciamento que há um exemplo claro vivenciado pela Grécia nos últimos anos, o qual pode ser útil a toda a humanidade ao dizer que: "a nossa experiência na Grécia pode ser instrutiva a todos, pois acontecem agora 3 crises mundiais e em todas as 3 situações a Grécia está no centro dos fatos.” A saber são elas:

- A #Crise econômica mundial, agravando ainda mais a política econômica da Grécia e reduzindo o PIB do país em 25% com “gravíssimas conseqüências sociais”, como frisado pelo próprio 1.º ministro grego;

- A crise de segurança em escala global prejudicada principalmente pela instabilidade crescente no entorno da Grécia (África do Norte, Oriente Médio e Mar Negro);

- A crise da migração humana com a produção de centenas de milhares de refugiados que almejam uma vida mais digna e melhor no continente europeu.

Publicidade

"Em cada fórum deve se falar sobre como reestruturar ou re-configurar o assunto crise econômica com a possibilidade de desenvolvimento, pois a questão da dívida é um desafio internacional que está no DNA da formação do sistema financeiro global. Nós não podemos falar sobre a erradicação da pobreza e do desemprego, a menos que possamos discutir como vamos construir ou melhorar os países, ao contrário de destruí-los”, disse Tsipras sobre a temática que envolve a dívida grega.

Os mecanismos para se lidar com a crise da Grécia na Europa serão abordados em um painel organizado pela organização do ex-presidente americano Bill Clinton, a Iniciativa Global também em Nova York, que contará com a presença de Aléxis que falará das ferramentas de respostas a crise, que estão sendo usadas pelos próprios gregos e pelos demais países credores, realçando que políticas de austeridade duradouras não são os melhores remédios no enfrentamento do problema.

É provável que Aléxis Tsipras se encontre com o secretário de Estado dos #EUA, John Kerry, e até mesmo que tenha alguns minutos de reunião com o presidente norte-americano Barack Obama, por ocasião do jantar oferecido pelo Secretário-Geral da ONU Ban Ki-moon, em honra de todos os líderes que estiveram presentes ao encontro.

Publicidade

#União Europeia