O Papa Francisco chegou ontem (22) aos Estados Unidos em uma visita que deve durar 6 dias. O pontífice argentino desembarcou em uma base aérea próxima de Washington, capital norte americana, e teve uma recepção calorosa da multidão que gritava seu nome, além claro, da presença do presidente Barack Obama, juntamente com a primeira dama Michelle e suas filhas.

Na quarta feira, Obama dará as boas vindas oficiais à Francisco num jardim da Casa Branca. Depois o papa deve fazer um desfile pelo centro de Washington no papamóvel, onde milhares de pessoas são esperadas. A visita deve se enveredar para uma linha mais política na quinta-feira, se tudo correr como esperado, será um dia histórico no Congresso americano, a primeira vez que o papa dá o ar de sua presença no recinto além de fazer um discurso na sessão conjunta.

Publicidade
Publicidade

A Vossa santidade deve passar ainda por Nova York, onde é esperado no Marco Zero (local dos atentados de 11 de setembro de 2001) para serviços religiosos, e discursar na ONU (Organização das Nações Unidas). A estadia de Francisco se encerra domingo onde participa do Encontro Mundial das Famílias, na Filadélfia.

O FBI e o serviço secreto americano, além de uma cooperação entre as autoridades dos estados e municípios estão sendo mobilizados para a segurança do papa, algo considerado bem grande, apesar de nenhuma ameaça concreta que pudesse por sua vida em risco, ter sido detectada.

Entre os temas da oratória papal, está o assunto que vem tomando as manchetes mundiais diariamente, que é o caso dos #Refugiados, o embargo dos Estados Unidos à Cuba, embora em conversa à jornalistas enquanto estava no avião se encaminhando aos #EUA, tenha dito que achava improvável tocar nesse assunto.

Publicidade

Na pauta ainda estão assuntos como a imigração, tema bem delicado no país, ainda mais inflamado pelas últimas declarações polêmicas que o pré-candidato do Partido Republicano à presidência Donald Trump vem tecendo, em especial aos hispânicos. O clérigo deve falar ainda sobre o aquecimento global. É esperar para ver a repercussão da visita de Francisco a terra do Tio Sam. #Igreja