A #Doença causada por uma Ameba de nome “naegleria fowleri” tem feito vítimas fatais no mundo. De acordo com o Instituto de Física de São Carlos, ela geralmente acomete nas águas de rios, lagos e também nas águas que bebemos e tomamos banho, que não são tratadas com cloro ou são tratadas com pouco cloro.

Já foram mais de dez mortes no Paquistão e várias nos Estados Unidos. Os casos chocam aqueles países pelo fato de que esse ser unicelular ter a capacidade de se infiltrar na cabeça da vítima e a partir dali começar a se alimentar da massa cinzenta do cérebro da pessoa. Casos do menino Michael Riley, de 14 anos, e Koral Reef, de 20 anos, ambos dos EUA, são os mais recentes.

Publicidade
Publicidade

Outros casos que ocorreram na cidade de Karashi, no Paquistão, pôs a OMS em alerta.

Cuidado com a água que você consome

Nos EUA, de 1962 até 2015, já foram mais de 123 vítimas, e apenas uma pessoa conseguiu sobreviver a doença. Já no Paquistão, o representante da OMS, Musa Khan, disse que a Ameba tem a água morna e pouco limpa como o seu habitat natural e que, ao entrar no organismo da pessoa, ela começa atacando o sistema nervoso para depois se alojar no cérebro.

Parentes das vítimas fizeram páginas no facebook (Naegleria fowleri in Karachi - A Silent Killer, em Português: Naegleria Fowler em Karachi – Uma Matadora Silenciosa), alertando sobre a importância de as pessoas se prevenirem e evitarem entrar em locais onde a água é suja ou beber água de origem duvidosa. A maioria das vítimas contraíram a doença quando foram para rios e lagos nadar e semanas depois os primeiros sintomas começaram a aparecer.

Publicidade

Os sintomas são variados, porém comuns

Em geral, os primeiros sintomas aparecem após uma, duas ou mais semanas. As vítimas tem febre e dor de cabeça ligeiras, mas que se tornam constantes com o passar do tempo. Também ocorrem dores no pescoço e a visão vai escurecendo gradualmente com o passar das semanas, até chegar ao ponto em que o contaminado não consiga mais enxergar. Outros sintomas são tonturas e vômitos.

Algumas vezes a doença é tratada como se fosse outras semelhantes, por conta disso, grande parte dos casos são descobertos já em estágio avançado.

  #Organização Mundial de Saúde #Alimentação Saudável