Rafik Y atacou uma policial alemã, cortando sua garganta. Outro policial atirou em Rafik, que morreu no local. Os paramédicos tentaram reanimá-lo, sem sucesso. O homem estava na rua ameaçando os pedestres com uma faca. A polícia foi chamada, e, assim que saiu do carro, a policial (cujo nome não foi divulgado) foi atacada no pescoço, logo acima do seu colete de proteção. A policial foi submetida a uma cirurgia de emergência e passa bem.

No início, o incidente foi tratado com um ato isolado, causado por um homem perturbado, mas, após a polícia identificar Rafik, ficou claro que se tratava de um ataque terrorista. Ele era iraquiano, tinha 41 anos e vivia na Alemanha como refugiado.

Publicidade
Publicidade

Em 2008, um tribunal de Stutgart sentenciou Rafik a 8 anos de prisão, por participar de um grupo terrorista e por planejar um atentado contra o então Primeiro Ministro de Israel, Iyad Allawi, durante sua visita à Alemanha, em 2004.

Os grandes jornais da Europa divulgaram que Rafik removeu sua tornozeleira eletrônica algumas horas antes do ataque. O incidente só faz aumentar a tensão na Alemanha, em razão do influxo de dezenas de milhares de #Refugiados sírios. A crise política e de segurança fez a chanceler Angela Merkel mudar de posição e fechar a entrada de refugiados na fronteira com a Áustria.

Os governos locais da Alemanha mostraram-se incapazes de lidar com o volume de pessoas e requisitam fundos. Horst Seehofer, governador da Bavária, fala em pelo menos 3 bilhões de euros. Nos últimos meses, críticos classificavam Merkel como "linha dura", pela forma como tratou a crise financeira da Grécia, mas foram surpreendidos pela forma como abriu as portas da Alemanha para os refugiados sírios.

Publicidade

Entretanto, a crise dos refugiados mostrou-se profundamente desafiadora.

Parte significativa dos atuais refugiados não se integra a sociedade alemã e a seus valores. Alguns trens tiveram o freio de segurança acionada, e refugiados desciam no meio do caminho, sem documentos. Seus paradeiros ainda são desconhecidos. Atos de vandalismo, protestos e ataques a policiais e cidadãos se intensificam, causando uma sensação de que a situação está fora de controle. #Blasting News Brasil #Crise migratória