É alarmante a situação dos refugiados e mais uma tragédia aconteceu, agora na ilha grega Farmakonisi no mar Egeu oriental, perto do litoral da Turquia, uma embarcação precária que levava cento e doze refugiado naufragou, e a tragédia já contabiliza seus números, 68 pessoas foram resgatadas e trinta conseguiram alcançarem nadando o litoral da ilha, que fica localizada a 15 quilômetros da Turquia. Infelizmente até as 12 horas no horário local, os mortos já somavam 28 e depois o número aumentou mais ainda, 6 corpos foram resgatados, entre o alto número de 34 mortos, se encontra quatro bebês e onze crianças (seis meninos e cinco meninas).

A maioria dessas pessoas saem de seus países buscando asilo e refúgio e a Europa é o destino mais procurado, entres os maiores grupos de #Refugiados estão: sírios, afegãos, iraquianos, paquistaneses, eritreus, somalianos e nigerianos.

Publicidade
Publicidade

A Alemanha é o destino mais procurado, e essas pessoas abandonam suas casas pelo medo da guerra na Síria e no Iraque, mas infelizmente não é só esse o motivo, elas fogem da pobreza que não permitem que elas tenham uma vida no mínimo aceitável, e se arriscam em embarcações precárias que muitas vezes naufragam deixando muitos corpos pelo meio do caminho. Essa é a terceira vez que acontece um naufrágio só nesse fim de semana, no sábado (12) uma outra embarcação com cinco pessoas desapareceu depois de uma embarcação de plástico ter virado perto de Samos. O trabalho de buscas ainda não teve resultados.

Desde a Segunda Guerra Mundial não se via um fluxo migratório tão intenso quanto o atual, e a Europa tenta achar uma solução plausível para poder abrigar todas essas pessoas.

A União Europeia marcou uma reunião de emergência para o fim desse mês, mas mesmo assim o bloco vem recebendo críticas por terem uma postura inerte diante de uma situação tão extrema e importante, agora é esperar e ver o que acontecerá, pois enquanto uma atitude não ser tomada, tragédias como essa serão corriqueiras, já não se pode mais ver pessoas fugindo e ninguém querendo recebê-las.

Publicidade

#Mídia #Europa