O sacerdote italiano Gino Flaim causou uma onda de revoltas em torno do globo, tudo porque o mesmo afirmou entender o crime cometido pelos seus irmãos de bata, em uma declaração ele diz nas entrelinhas que a culpa da pedofilia dentro da #Igreja católica é das próprias crianças, dizendo que as vítimas, por não receberem o carinho necessário dentro de casa buscam esse afeto com os sacerdotes da igreja, e os mesmo poderiam cair em tentação, no entanto o que gerou toda a confusão foi o fato dele defender os colegas com o argumento que entenderia se um padre cometesse esse crime com uma criança que foi procurar um carinho e não um trauma, trauma esse que a criança poderia levar para o resto da sua vida.

Publicidade
Publicidade

Depois da repercussão negativa que as declarações do clérigo obteve, a Igreja Católica não ficou de braços cruzados e resolveu punir Gino Flaim, aos 75 ele foi expulso da instituição religiosa que fez questão de ressaltar que não concordava com nada que o ex-padre havia dito.Claro que a expulsão de Gino foi uma forma de dissipara a nuvem negra da pedofilia que assola a Igreja Católica a muito tempo, depois de vária denúncias e uma super exposição midiática,a Instituição queria abafar o escândalos e descansar a imagem desgastada, porém nenhuma dessas estratégias funcionaram, pois a opinião pública está em cima do assunto e não pretende esquecer o tema nem tão cedo, e depois de uma declaração polêmica que girou o mundo e causou espanto, os holofotes ficaram ainda mais acesos sobre o assunto, que não deve sair de pauta por ser tão delicado e revoltante.

Publicidade

Grupos de discussão se inflamaram e trouxeram o tema à mesa, se falou sobre as leis, e qual deveria ser a punição justa para alguém que comete um crime tão hediondo com uma criança? E o assunto ganha um peso maior ao se tratar que os pedófilos se tratam de sacerdotes. No entanto no caso Gino o que gerou tanta revolta foi o fato do ex-padre dizer que quando uma criança vai procurar afeto em um clérigo, o mesmo tem o direito de “cair em tentação” e cometer o crime, pelo menos na cabeça do italiano isso é compreensível. #Família