A apresentadora da emissora de Edir Macedo, a TV Record, Ana Hickmaan, virou destaque na imprensa internacional como sendo outra pessoa. Ela está sendo acusada de ser uma piloto de caça, responsável por bombardear instalações do Estado Islâmico. A polêmica que começou nas redes sociais já ganhou espaço nos principais sites brasileiros e até em jornais internacionais, como o francês 'Le Monde'. Isso porque Ana está sendo chamada de "Capitã Balislava", profissional do exército Russo que deu início à uma polêmica mundial, já que o ataque às instalações virou motivo de briga entre a Rússia e os Estados Unidos.

Isso porque os Estados Unidos tem no local centenas de soldados em missão de paz.

Publicidade
Publicidade

A Síria vive uma guerra sem precedentes. De acordo com analistas políticos, o êxodo registrado no país é o maior desde a segunda guerra mundial. Milhares de famílias tentam escapar da guerra para não serem reféns do chamado Estado Islâmico, soldados que usam o nome de Alá para matar. Alá é o Deus de quem professa a fé islâmica. 

De acordo com informações da assessoria de comunicação de Anna Hickmann, a apresentadora não seria a piloto que jogou as bombas, muito menos já trabalhou alguma vez para qualquer exército, nem mesmo para o da Rússia. Anna não saberia o porquê seu nome passou a fazer referência à tal soldado. 

Além da fotografia da modelo, uma história de como ela foi escolhida virou um verdadeiro boato mundial. De acordo com blogs russos, o país teria escolhido sua mulher mais bonita para jogar bombas na Síria, isso porque o Estado Islâmico tem uma cultura de menosprezo às mulheres, soando assim como uma resposta ao tipo de intervenção feita no país. 

A foto da famosa vestida com roubas da Força Aérea Brasileira foi feita em 2005 durante a gravação de um programa.

Publicidade

Na época, ela foi escolhida como uma das madrinhas de um turma de soldados da aeronáutica. Ela foi feita na cidade de Pirassununga, em São Paulo.

A foto de Ana como sendo a piloto russa virou capa até do 'Le Monde', um dos jornais de maior credibilidade do mundo e que circula em Paris, na França. #Crime