Segundo declarações vindas da Cidade do Vaticano, o fato de um padre polonês ter se declarado homossexual à imprensa é visto como algo muito grave, principalmente porque ele escolheu fazer isso um dia antes do inicio do Sinodo sobre a família e por motivos de precaução ficou decidido que ele seria afastado de suas funções, informou a Santa Fé.

O padre Krysztof Olaf Charamza de 43 anos, nascido na cidade de Gadynia, Polônia, revelou a dois jornais que é 'gay' e convive com um companheiro.

'Por causa dessa declaração terei que desistir de algo que é minha vida, o meu ministério'. Disse o padre ao jornal italiano Corriere della Sera.

Publicidade
Publicidade

'Sei que a #Igreja me verá como alguém que não soube se manter casto e cumprir com seu dever, principalmente porque estou com um homem e não com uma mulher', concluiu.

A reação do Vaticano veio rápida.

'Fica claro que o monsenhor em questão não deverá desempenhar mais suas funções na Congregação para a doutrina da Fé'.

O padre polonês recebeu o título de monsenhor por exercer funções na Congregação para a Doutrina da Fé, que antigamente era a Santa Inquisição.

Segundo afirmações do Vaticano é bem pouco provável que Charamza conserve seu cargo, após ter admitido que tem um companheiro, mas quem deve decidir isso são os superiores hierárquicos de sua diocesse.

O padre Charamza ainda afirmou que a igreja está muito atrasada e precisa urgentemente abrir os olhos perante os homossexuais crentes, que a abstinência total é desumana.

Publicidade

Ele confessa que sempre se sentiu atraído por homens e que deois de conhecer o companheiro passou a ser um padre melhor e capaz de entender mais as pessoas. Disse à Newsweek.

O Papa Francisco fez a abertura neste domingo (04), do segundo 'sinodo' sobre a #Família, onde será debatido a questão da homossexualidade. O tema promete ser bastante polêmico e divide a igreja católica, há quem creia que precisa ser combatido e há os que aceitam como uma realidade inevitável.

No final da entrevista o padre polonês ainda desabafa:"Gostaria de dizer ao sinodo que o amor homossexual também é um amor familiar, que precisa de uma família. Que os gays, as lésbicas, os transsexuais. todos tem coração e desejam o amor de uma família". #Religião