Uma instalação de atendimento humanitário de saúde no Afeganistão foi atingida por ataques aéreos neste sábado (3), atingindo e matando médicos, pacientes e profissionais voluntários na cidade de Kunduz e também terroristas que se escondiam no local. 

O prédio bombardeado é uma instalação do Médicos Sem Fronteiras, organização internacional que promove atendimento humanitário em zonas de conflito e crises sociais. Na página brasileira da entidade nas redes sociais foi postado imagens do hospital atacado, onde é possível ver rastros de destruição e também voluntários atendendo as vítimas. 

Este #Ataque está sendo atribuído aos Estados Unidos e gerando grande controvérsia sobre a ação militar.

Publicidade
Publicidade

Em nota oficial, os Médicos Sem Fronteiras repudiaram os ataques em suas instalações e alegam que informaram com muita antecedência as forças americanas e aliados sobre sua localização e sua estrutura de atendimento, para evitar um possível bombardeio que acabou ocorrendo mesmo após o aviso oficial de sua localidade.

"Estamos profundamente chocados com o ataque, a morte de nossos profissionais e pacientes e as duras consequências que ele infligiu sobre os cuidados de saúde em Kunduz”, diz Bart Janssens, diretor de operações de MSF.  

Segundo continua Bart  “Ainda não temos os dados finais acerca das mortes, mas nossa equipe médica está prestando primeiros-socorros e tratando os pacientes e os profissionais de MSF feridos, além de buscar os desaparecidos. Nós fazemos um apelo a todas as partes em conflito que respeitem a segurança dos profissionais e das instalações de saúde.”

Foram dois ataques que atingiram as instalações do hospital no Afeganistão.

Publicidade

Um vídeo foi divulgado na internet mostrando os profissionais de saúde indo socorrer as vítimas do primeiro ataque, quando  um novo bombardeio atingiu o prédio.

Após o ataque, a organização emitiu uma mensagem em seu site dizendo que "MSF condena fortemente o ato contra seu hospital em Kunduz que estava lotado de profissionais e de pacientes. MSF esclarece que todas as partes em conflito, incluindo em Cabul e em Washington, foram claramente informadas sobre a localização precisa(coordenadas geográficas) das instalações da organização–hospital, dormitório dos profissionais, escritório e uma unidade de estabilização ambulatorial em Chardara (no noroeste de Kunduz).Como MSF faz em todos os contextos de conflitos armados, essas localizações precisas foram comunicadas a todas as partes beligerantes em diversas ocasiões ao longo dos últimos meses, mais recentemente em 29 de setembro.

O TRABALHO DOS MÉDICOS SEM FRONTEIRAS

A MSF é uma organização humanitária internacional independente e comprometida em levar ajuda às pessoas que mais precisam sem discriminação de raça, religião ou convicções políticas.

Publicidade

Segundo o site da organização, eles levam cuidados de saúde a pessoas em necessidade de ajuda médico-humanitária em meio a conflitos armados, epidemias, desastres naturais, desnutrição e exclusão do acesso a cuidados de saúde.

EUA EXIGE INVESTIGAÇÃO COMPLETA

De acordo com o site da Revista Exame, o  secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ash Carter, de Whashington, garantiu neste sábado que fará uma "investigação completa" sobre o ataque aéreo que atingiu um hospital dirigido pela Médicos sem Fronteiras na cidade de Kunduz, no Afeganistão, que matou nove membros da ONG e uma dezena de terroristas.

O Afeganistão é uma zona de conflito civil entre o grupo islamita Taliban e forças do governo, que conta com o apoio de uma coalizão militar internacional que está combatendo os rebeldes que estão contra o governo.  #EUA #Guerra Civil