Milhões de imigrantes vivendo em França, incluindo milhares de brasileiros, têm razões para se preocupar, pois  depois de duas semanas o serviço militar francês ter iniciado o bombardeamento aéreo a alegados membros do Estado Islâmico. Como informou ontem, dia 7 de outubro, o presidente francês, François Hollande, à #Europa, caso não continue seu ataque brutal à presença do Estado Islâmico na Síria, uma “guerra total” se vai formando também na Europa, começando pela França que nos últimos anos tem sido a maior aliança com os Estados Unidos na morte de terroristas do Estado Islâmico. Rússia agora também se junta nos ataques militares ao Médio Oriente.

Publicidade
Publicidade

Nunca antes a Europa tinha atacado desse jeito o Estado Islâmico como agora, ajudando assim os Estados Unidos, que durante muito tempo praticamente lutaram sozinhos no combate ao Estado Islâmico, que nas últimas semanas tem conseguido aumentar sua representação na Europa, beneficiando dos milhões de refugiados que estão entrando em território europeu. Mas que consequências essa guerra entre Europa e Estado Islâmico vai trazer às pessoas?

Há menos de uma semana os Estados Unidos se desculparam por terem, por engano, bombardeado um hospital que estava apoiando vítimas da guerra na Síria, matando assim centenas de inocentes, incluindo mulheres e crianças. Esse tipo de falhas estará provocando um sentimento de revolta do Estado Islâmico contra os Estados Unidos, mas também seus principais aliados, como é o caso da França, que agora também os está bombardeando.

Publicidade

François Hollande, no Parlamento Europeu, onde também falou Angela Merkel, afirmou que se a Europa não agir na região da Síria, isso rapidamente se transformará em uma guerra total, promovendo assim os ataques ao Estado Islâmico e elogiando a nova posição da Rússia que, em um encontro histórico de Putin e Obama, resolveram unir forças naquela que é a maior ameaça para o ocidente. Porém, nossos imigrantes terão que ter atenção para que as tensões estão crescendo cada vez mais e que o grupo terrorista mais perigoso do mundo tem sérias intenções de atacar no coração da Europa, sendo que a França é o alvo prioritário. #Crime #Guerra Civil