Ao menos 13 pessoas foram mortas e 20 ficaram feridas nesta quinta-feira (1º) em um tiroteio em uma universidade comunitária do sudoeste do estado de Oregon, nos Estados Unidos.

O xerife do condado recebeu a ligação por volta das 10h38 (14h38, em Brasília) no horário local, vários grupos de apoio e agentes da policia vindos de diversas partes do estado foram mobilizados para ação. Não foi anunciado se a ação era parte de um ato solitário, ou se haviam outras pessoas envolvidas no massacre.

Um fotógrafo do jornal local testemunhou ter isto os feridos sendo levados à vários hospitais na região através de ambulâncias. Até agora, não foi confirmado se o atirador tinha qualquer tipo de ligação com a instituição, e nem mesmo sua identidade.

Publicidade
Publicidade

O incidente aconteceu no campus da escola profissionalizante Umpqua, em Rosenburg, e mesmo com o chamado policial ainda não se tem ideia de quanto tempo o ataque durou.

Em coletiva de imprensa realizada horas depois do acontecido, a governadora do Estado de Oregon, Kate Brown, confirmou que o atirador - um homem de 20 anos - foi morto após troca de tiros com policiais. As autoridades ainda não confirmaram oficialmente o número de mortos, apesar da especulação que rondava entre 13 mortos e 20 feridos, sem incluir na contagem o responsável pelo ataque.

A Universidade Comunitária de Umpqua tem cerca de 3 mil estudantes. A polícia do estado do Oregon não deu mais detalhes sobre o incidente. A Casa Branca informou que o presidente dos #EUA, Barack Obama, foi comunicado sobre a situação e continuará recebendo atualizações sobre o massacre que, provavelmente, gerará várias discussões e protestos sobre o porte legal de armas nos Estados Unidos.

Essa já não seria a primeira vez que a segurança e facilidade dos cidadãos adquirirem porte de armas seria posto em pauta.

Publicidade

Em junho desse ano, um homem matou nove pessoas em uma igrejaem Charleston, e mais uma vez se foi provado que a segurança é falha, assim como os testes para o porte legal de armas.

A grande questão é: esses ataques poderiam ter sido evitados se o sistema de porte de armas fosse mais seguro e avaliativo? #Terrorismo