Evan Goodbrand tinha apenas oito meses quando recebeu um fígado novo. Graças a uma família que aceitou doar órgãos do seu parente, esse bebê conseguiu sobreviver. Nove anos se passaram e Evan é hoje um menino bem crescido, cheio de saúde. Sua história vem encantando a Escócia e Evan é a prova bem viva de que vale a pena doar

São já milhares os novos assinantes em uma lista de doadores de órgãos após a morte, um número que vem crescendo muito pelos últimos nove anos. Após o sucesso da operação de Evan, muitas pessoas foram alertadas para a importância da doação de órgãos e foram percebendo que podem mesmo salvar vidas.

Evan tinha oito semanas de vida quando lhe foi diagnosticada uma atresia biliar, doença mais comum do que se julga entre os recém-nascidos.

Publicidade
Publicidade

Essa doença consiste em uma obstrução das vias entre o fígado e a vesícula do bebê. Os primeiros meses da vida de Evan foram dramáticos, com as cirurgias se revelando insuficientes para curar esse menino. Pelos oito meses, os médicos o colocaram em uma lista de espera para receber um novo fígado. 

Pouco tempo depois, Evan estava recebendo um novo fígado, em um transplante bem sucedido. Junto dos pais, Karen e Paul, o menino celebrou essa semana seu décimo aniversário com um novo fígado. Uma forma de agradecimento pela vida nova que recebeu, mas também, um jeito de lançar mais uma 'Semana do Transplante'.

Com ajuda do garoto, se esperava que se conseguisse angariar mais 2015 novos dadores. Contudo, escreve o jornal Mirror que, uma vez mais, os números voltaram a subir e são 2809 novos candidatos a dadores só em uma semana

O impacto tem sido muito positivo e a mãe Karen acredita que seu filho "inspira as pessoas atuarem" e diz mesmo que o menino é "prova viva do maravilhoso impacto da doação de órgãos na vida de alguém".

Publicidade

Sobre a nova vida de Evan, após o transplante, a mãe considera que seu filho está tendo uma vida normal como qualquer outro menino de sua idade.

E o leitor, aceitaria doar seus órgãos após sua morte, para que pudesse salvar a vida de alguém? Deixe sua opinião, nos comentários mais em baixo.  #Europa #Blasting News Brasil #sistema de saúde