Sofia nasceu com uma rara doenças chamada sindrome de berdon (a síndrome é uma #Doença rara que afeta, principalmente, meninas, e causa problemas nos intestinos, bexiga e estômago. Geralmente, as pessoas com essa doença não urinam e nem defecam). A pequena guerreira Sofia surpreendeu a todos, comemorando seu primeiro ano de vida junto a seus pais e toda equipe médica no dia 24 de dezembro de 2014.

Sofia passou por um transplante que envolveu cinco órgãos e teve uma parada cardíaca. Tudo aconteceu por um agravamento de uma fibrose nos pulmões que a levou a uma parada cardíaca. A garotinha estava com um vírus que foi confrangida logo depois do transplante multivisceral.

Publicidade
Publicidade

Tinha tido uma melhora, mas logo piorou e, em seguida, veio a notícia que abalou a todos que acompanhavam a história, o falecimento da pequena Sofia.

Milhares de pessoa se sensibilizaram com o caso da bebê Sofia e ficaram muito triste. Segundo os advogados da família, a mãe da bebê Sofia queria cremar o corpo nos Estados Unidos. Porém, a informação não foi confirmada. Durante o tempo desde quando nasceu, a bebê esteve internada, e nunca conheceu a casa de seus pais. Durante todo esse tempo, a garota Sofia teve que passar por três cirurgias, e, com isso, precisava de atendimento especializados para a doença.

E sem contar que, o custo para o tratamento é estimado em R$ 2 milhões. A mãe, sem condições para realizá o tratamento de sua filha, começou a lutar para conseguir o dinheiro, e fez uma campanha na Internet chamada "AJUDE A SOFIA", para arrecadar fundos aos Estados unidos.

Publicidade

Com toda essa manifestação, a família conseguiu arrecadar cerca de R$ 1,8 milhão,

Mesmo com o dinheiro obtido, a família não desistiu da sua briga na justiça para que o governo brasileiro pagasse o valor da cirurgia. De acordo com o advogado da família, Miguel Navarro, o governo depositou 1 milhão para cobrir despesas e serviços, como a compra de medicamentos.

No entanto, infelizmente, os esforços não salvaram a vida da bebê Sofia, que irá deixar saudades. #Medicina #Blasting News Brasil