De acordo com o diplomata iraniano Sayed Hadi Afghahio recente sucesso das operações militares da Rússia na Síria, além de perturbar o Estado Islâmico, também estaria perturbando os Estados Unidos da América. O principal motivo desta preocupação é que o governo americano não consegue mais dissipar a hipocrisia de sua guerra contra o terror.

Em entrevista ao canal de notícias Iran.ru, o diplomata e cientista político teria afirmado: ''Na realidade, o governo de Barack Obama sente-se desconfortável com o fato de a Rússia ter atraído a atenção mundial para a hipocrisia americana no comando de uma coalizão antiterror. Ocasionando uma guerra simulada contra o Estado Islâmico em mais de um ano''.

Publicidade
Publicidade

Essa entrevista ecoou pelo mundo. Assim como um comentário realizado no início do mês feito pelo presidente da Comissão para Assuntos Internacionais da Duma, e integrante do parlamento russo, Aleksei Pushkov, que publicou no Twitter que as declarações de Washington, criticando os ataques da força área russa, estariam encobrindo uma verdade embaraçosa para o governo americano.

Em nota, o parlamentar russo afirmou: ''Os americanos condenam a Rússia por seus motivos indiscriminados na Síria. Mas o que impede os Estados Unidos de o ano inteiro escolher alvos precisos ao invés de gastar sua artilharia bombardeando um deserto em vão?'', indagou Pushkov.

De acordo com o Ministério de Defesa russo, o equipamento instalado em seus caças permite aos pilotos atingir alvos precisos. Além disso, os ataques lançados por caças Su-34, Su-24M e Su-25, já teriam destruído centenas de bases e estruturas do EI, danificando seriamente a rede de comando dos terroristas.

Publicidade

O diplomata iraniano também teria comentado a respeito das afirmações da Casa Branca de que a Rússia estaria atacando grupos considerados como não terroristas, e classificou como mentira as supostas informações da mídia ocidental falando a respeito de vítimas civis mortas nos ataques da força área russa. Durante o início desta semana, o cientista político teria manifestado apoio total ao governo de Moscou.

''Todo o 'serviço de inteligência' da OTAN e Estados Unidos utilizam seus satélites, entre outros canais de comunicação, para saber os locais exatos que as forças russas estão atacando. Mas nunca deram crédito e prestígio aos combates da Rússia contra os terroristas perante a comunidade mundial", afirma Afghahi.

"Os Estados Unidos mentem ao mundo ao afirmar que estão combatendo os terroristas do Estado Islâmico. Na realidade, o governo norte-americano nunca conduziu uma guerra séria contra estes terroristas. Apenas realizavam ataques aéreos e sem nenhum objetivo, alegando atacar bases terroristas, o que não ocasionou em nada e acabou fortalecendo ainda mais o Estado Islâmico.

Publicidade

Isto prova que a luta dos #EUA contra o EI não teria passado de um blefe simbólico, além de apresentarem uma política de duplo padrão'', concluiu Sayed Hadi Afghahi.

Aproveitando a ocasião, e falando em meio ao discurso norte-americano a respeito das ameaças provindas do Estado Islâmico, o presidente russo Vladimir Putin aproveitou para cutucar as contradições do governo estadunidense. De acordo com Putin, a posição dos Estados Unidos não se baseia em fatos, ignorando que a estratégia usada para financiar milícias de oposição seria totalmente desastradas.

''A medida que esta moderação seria um conceito fluído entre os mercenários, e só começa a ser sustentada até o prezado momento em que a perspectiva de lutar do lado dos terroristas começa a dar mais lucros do que seguir orientações do Pentágono'', disse Putin. #Terrorismo #Blasting News Brasil