A França avança em um assunto que tem causado polêmicas em alguns lugares: o sexo neutro. Pela primeira vez, a justiça do país reconhece o "sexo neutro" para identificar quem foge de padrões definidos pela rotulação masculino e feminino. Esse caso se deu por uma pessoa de 64 anos de idade que é intersexual, que é uma pessoa que nasce com uma vagina rudimentar e um micro pênis, sem os testículos. Essa pessoa, que não teve seu nome divulgado, passou uma vida inteira de restrições e sofrimentos, pois quando nasceu os médicos o definiu como de sexo masculino, o que para ela não era verdade, passando assim a viver uma vida cheia de traumas e constrangimentos.

Publicidade
Publicidade

Segundo ela, já na adolescência percebeu que não era um menino. Não nasceu barba, seus músculos não eram fortes e não desenvolveram igual aos dos outros garotos. Desabafou ao Jornal Diário 20 minutes: Era impossível para mim pensar, na época, que poderia me tornar uma mulher. Bastava olhar no espelho para me dar conta disso e esse sofrimento tive que carregar pela vida inteira.

Com essa decisão do tribunal francês, ela poderá usar em seus documentos oficiais a expressão "gênero neutro", falou o subdelegado do Ministério Público, Joel Patard. Para tanto, também tiveram que ser feitos exames médicos para investigação e provar que seu caso não era o único. Mas o promotor adjunto do Ministério Público já falou que vai recorrer da decisão do tribunal, pois o mesmo acha que esse  caso deve ser julgado em um nível mais superior, segundo ele,essa decisão " colidiu com as leis vigentes."

Nas pessoas intersexuais os cromossomos  que formam os genitais e dão as características que as definem como masculino ou feminino não são definidos.

Publicidade

Uma grande vitória para uma pessoa que passou uma vida de sofrimentos e angustias, essa decisão dá esperanças as demais pessoas que sofrem por não serem reconhecidas pela sua identidade de gênero, apesar do caso dela ser diferente, o seu problema foi com os seus cromossomos que não nasceram definidos. Mais fica a esperança que demais assuntos relacionados a sexualidade sejam mais estudados e a justiça possa olhar para esses casos com mais atenção, pois o sofrimento desse personagem, que teve o final feliz, poderia ter sido amenizado a anos se não fosse a intolerância da sociedade. #Curiosidades #Comportamento