Mais uma vez o grupo terrorista intitulado #Estado Islâmico ganha as manchetes de todo o mundo. Dessa vez, os jihadistas desejam realizar um ataque nuclear que venha a matar milhões de pessoas de uma só vez.

A notícia em manchete no The Mirror, foi dada por um jornalista alemão que passou dez dias com o EI. Ao retornar às suas atividades normais, o repórter contou que o grupo quer fazer uma grande limpeza religiosa, eliminado milhões de pessoas em um holocausto nuclear.  Atualmente os terroristas ocupam grande parte do território da Síria e do Iraque, motivo que tem obrigado milhares de pessoas a saírem de suas casas para buscar refúgio em países da Europa, desencadeando a maior #Crise migratória da história da humanidade.

Publicidade
Publicidade

O jornalista que fez tão importante revelação é Jurgen Todenhofer, que era responsável por fazer a cobertura dos conflitos e conseguiu escapar com vida após dez dias com os criminosos islâmicos. O resultado de sua “aventura” é um livro recém lançado que se chama Inside IS — Ten Days In The Islamic State, ou Dentro do EI – Dez dias no Estado Islâmico.

Jurgen se pronunciou como um cidadão contrário às intervenções externas no Afeganistão e Iraque, conseguindo chegar até o grupo. Com isso, obteve a revelação que o EI estão há anos trabalhando para conseguir realizar um genocídio em massa. Tal desejo pode justificar o fato dos jihadistas estarem se espalhando pelo mundo, inclusive, recrutando jovens pela internet.

Já rolou pela internet a notícia de que o EI teria infiltrado membros do EI na Europa por conta da crise migratória.

Publicidade

O jornalista ainda disse que teve a impressão que o grupo é muito mais forte do que nós podemos imaginar. De longe, parecem com um grupo isolado de minorias, mas na prática são numerosos e poderosos, motivo pelo qual raramente algum deles são pegos.

A área total que o EI tem sob seu poder, entre a Síria e o Iraque, é maior que todo o território do Reino Unido. Há pouco mais de um ano o grupo declarou o estado do califado nos dois países, matando todos aqueles que possuem religião distinta à deles, inclusive muçulmanos “rebeldes”. Eles também já cometeram diversas atrocidades, como matar cristãos queimados ou crucificados, estupro de crianças e mulheres e decapitações de diversas pessoas. #Guerra Civil