Em um tempo que muito se fala da conversão ao islamismo, uma família muçulmana trocou de #Religião em 1996, mas saltou para o lado dos cristãos e está sendo atacada desde então. E nem os filhos nascidos já em uma família cristã estão escapando da perseguição dos vizinhos

A família é asiática mas vive na Inglaterra e é aí que está sofrendo agressões por ter trocado de religião. Apesar de todos esses anos de perseguição e ataque, a família Hussain não está perdendo a fé no cristianismo, mas sim na igreja inglesa. "Não estão fazendo nada por nós", fala Nissar Hussain, de 49 anos, citado pelo jornal Daily Mail

Hussain culpa a apatia da igreja anglicana que não colabora nem ajuda sua família, mas também fala da inércia da polícia, que sempre que é chamada acaba por não fazer nada por eles.

Publicidade
Publicidade

Os ataques vão-se multiplicando e nesse ano de 2015, Nissar Hussain já teve o vidro do seu carro quebrado por seis vezes. Também o carro do filho mais velho foi quebrado por uma vez. 

A família Hussain é composta pelo casal Nissar e Kubra e por seis filhos, sendo que todos eles vêm sofrendo na pele essa troca de religião. Os Hussain vivem em Bradford, onde têm terras das quais tiram rendimentos para viver, mas já se mudaram de rua, para fugir da perseguição dos vizinhos. A paz parecia reposta mas uma presença de Nissar em uma reportagem de televisão sobre trocar de religião, em 2008, bastou para que voltassem a ser perseguidos por famílias muçulmanas. 

Agora, quase não podem mais sair de casa, correndo o risco de ser atacados e violentados. Na escola, os filhos são vítimas de bullying, por serem cristãos.

Publicidade

"Nossos pais falam para a gente não se misturar porque você é uma convertida", foi o recado que Leena, a filha mais nova levou para casa. "Convertidos", "blasfemadores" e "apóstatas" são os principais ataques verbais aos Hussain. Tudo porque abandonaram  sua religião, o que em alguns países islamistas pode ser punido com morte. 

Depois de se mudarem por uma vez, a família Hussain está pensando deixar tudo para trás e se mudar para uma "zona branca" da Inglaterra, fugindo assim a perseguição muçulmana

Um porta-voz da Polícia de West Yorkshire disse: "Estamos cientes de um assunto em curso envolvendo o senhor Hussain e estão trabalhando em estreita colaboração com os parceiros para resolver esta situação . Todos os relatórios de crime são levadas a sério e são investigados a fundo". No entanto, a polícia rejeita tratar-se de um crime de ódio.  #Europa #Blasting News Brasil