Um pesadelo está prestes a atingir o México: o furacão Patricia, que tem aumentado de força em um ritmo assustador. Nas últimas 12 horas, atingiu a categoria 5, a mais alta na escala Saffir-Simpson, usada para a classificação de furacões.

"Patricia é agora o mais forte furacão de todos os tempos a atingir a região norte do Pacífico oriental.", declarou a porta-voz da Organização Meteorológica Mundial, Clare Nullis, em uma conferência da ONU (Organização das Nações Unidas) em Genebra, Suíça, citando uma atualização feita pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (National Hurricane Center, NHC, em inglês).

No momento, o furacão está sobre o oceano, se deslocando a aproximadamente 16km/h, em uma área onde a temperatura da água do Pacífico está mais quente do que o normal, devido ao fenômeno El Niño.

Publicidade
Publicidade

A previsão é de que Patricia atinja o solo mexicano ainda nesta noite de sexta-feira, 23 de outubro.

Para se ter uma ideia da força deste furacão, seus ventos, com uma velocidade média de 335 km/h e picos de 405 km/h, são tão intensos que poderiam sustentar um avião no ar e mantê-lo voando.

Destruição sem precedentes

Desde que se tornou um furacão de categoria 5 durante esta madrugada, Patricia está sendo comparado com o tufão Haiyan, que atingiu as Filipinas com um efeito devastador em 8 de novembro de 2013, matando mais de 6.300 pessoas, e destruindo cerca de 90% da cidade de Tacloban, na província de Leyte.

Mais de 7 milhões de habitantes na rota do Furacão Patricia estão sendo orientados a se preparar para o pior cenário possível. Os polos de atração turística de Puerto Vallarta e Manzanillo estão diretamente no caminho da tempestade.

Publicidade

Avisos de furacão se estendem desde San Blas a Punta San Telmo, áreas que incluem ambos os polos turísticos. A CONAGUA, Comissão Nacional de Água mexicana, prevê ondas de aproximadamente 12 metros de altura em terra firme.

Patricia é apenas o segundo evento de categoria 5 a atingir a costa do Pacífico, desde que os registros completos a respeito de furacões começaram, em 1949. Uma tempestade sem nome atingiu, no final de outubro de 1959, uma região perto de Manzanillo, matando cerca de 1.800 pessoas – sendo que cerca de 800 destas pessoas acabaram mortas devido a deslizamentos de terra, causados pela intensa chuva que acompanha um furacão. #Natureza #Mudança do Clima