O britânico Mike Newman portador de deficiência visual supera as barreiras de sua falta de visão e bate recorde dirigindo um caminhão num percurso de mais de 3,2km de extensão. O aeroporto de Elvington, que fica ao norte da Inglaterra perto de York, foi o local onde Mike bateu o recorde mundial a uma velocidade de 200km/h.

Durante o percurso ele recebeu ajuda de uma amiga que o guiava em um carro que seguia o caminhão. Eles se comunicavam através de um rádio, no qual eram transmitidas as coordenadas para que Mike pudesse concluir o feito. Este feito entra para sua lista de recordes pois Mike é detentor de mais dois recordes mundiais, o de motorista de carro mais rápido do mundo e o de condutor cego de barco mais rápido do mundo.

Publicidade
Publicidade

Mike Diz: “É um grande privilégio ter conquistado o que conquistei hoje”. Mike não para por ai, tem pretensões muito maiores, e já planeja o seu próximo recorde que será nos céus, ele pretende ser o piloto de avião cego mais rápido do mundo.

Lição de vida

Muitas pessoas acreditam que as deficiências físicas são fatores que limitam as experiências que a vida pode proporcionar. A verdade é que com esta história de Mike é possível perceber que “o céu é o limite”, trocando em miúdos, os limites da deficiência física são impostos pela própria vontade, aqueles que tem motivações são capazes de realizar feitos incríveis que muitas pessoas que não possuem deficiências físicas não fazem. Portanto não há limites para quem tem motivações.

Viver é algo passageiro e aproveitar ao máximo o curto período de tempo, em que estamos sobre a terra, para realizar aquilo que queremos só depende da força de vontade.

Publicidade

Como disse o grande Guru Gita, nas Escrituras Sagradas Hindu, “Quem se queixa demais da vida reencarna como minhoca num deserto”. As vezes as queixas acabam tomando conta da vida e quando se percebe, nada mais tem “graça”. O principal obstáculo para o deficiente é não se deixar abater, não deixar que as queixas tomem conta da sua condição atual, queixar-se acaba criando uma barreira de bloqueio as possibilidades que se pode alcançar.  #Curiosidades #Comportamento #Doença