Uma mulher da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, publicou fotos de um cão com o focinho todo enrolado em fitas adesivas, a fim de fazê-lo não latir mais. As imagens do sofrimento do animal repercutiram em todo o mundo e Kimberly Ann Howell foi denunciada para a polícia local.

Segundo Kimberly, ela estava dando uma “lição” em seu cão, devido o mesmo ter tentado morder sua filha. Era como um castigo, e que depois pretendia soltá-lo. Em sua publicação na rede social, incluiu comentários “divertidos” sobre o castigo que deu ao cãozinho, pelo menos para ela eram divertidos, mas não para as milhares de pessoas que repudiaram o ato na internet.

Publicidade
Publicidade

Dentre as pessoas que se revoltaram com as imagens, uma delas foi quem a denunciou para a polícia de Salisbury, na Carolina do Norte. A polícia a levou para a delegacia e a prendeu, entretanto, uma fiança foi arbitrada no valor aproximado de R$ 12 mil, do qual Kimberly pagou e já está em liberdade. Não foram divulgadas quaisquer informações sobre alguma organização ou autoridade que tenha retirado o cão da acusada ou se ele permanece sob o seu poder.

Outros casos de violência contra os animais

Outro caso chocou o Brasil e o mundo através de páginas voltadas para a proteção animal. Na capital baiana, um cachorro foi brutalmente violentado por um ser humano. O animal foi encontrado por uma moradora da cidade, que o viu debilitado e ferido. Crendo se tratar de um atropelamento, pediu ajuda de uma ONG local, que levou o pequeno cão para uma clínica veterinária.

Publicidade

Após ser examinado, os médicos veterinários constataram que o cão foi estuprado e que teve seus ossos, praticamente, moídos durante o ato violento. O cão era de pequeno para médio porte. Além de todos os ferimentos, o cão teve uma lesão na bexiga e estava com um pouco de infecção.

Os médicos lhe operaram e ele permaneceu onze dias em observação. No 11º dia precisou de uma nova cirurgia, mas não conseguiu sobreviver a nova intervenção em decorrência das inúmeras lesões internas que o debilitaram. Os médicos, a ONG e os protetores dos #Animais locais e de diversos locais do Brasil, lamentaram a morte do cão após a #Violência sofrida.

E você, o que acha que pode ser feito para evitar que casos como esses se repitam? Opine deixando seu comentário. #EUA