Mercedes Talamante, 51 anos, natural do México, Cabo San Lucas, no Estado de Baixa Califórnia do Sul, sofreu por muito tempo com um sério problema que estava afetando sua vida e só foi piorando a cada dia, por não ter coragem de expor o seu caso para outras pessoas. Ela não procurava um especialista por medo de ser diagnosticada com uma #Doença fatal e ficou 5 anos com um enorme tumor dentro dela.

Neste período, Mercedes passou reclusa dentro de casa e não permitia nem que os seus dois filhos fossem visitá-la, sendo auxiliada apenas por uma vizinha. A filha descobriu e acabou convencendo a mãe a ir no hospital, pois ela estava com muita dificuldade para se locomover, respirar e se alimentar.

Publicidade
Publicidade

Os médicos a diagnosticaram, fizeram uma bateria de exames e descobriram que se tratava de um tumor gigante, considerado um dos maiores já registrados no mundo.

O tumor pesava 60 kg e 200 gramas, estava localizado próximo ao ovário esquerdo, que também precisou ser retirado. A cirurgia foi feita pelo médico Gilberto Insunza Salazar, ele contou que "não há precedentes da história da #Medicina de um tumor intra-abdominal tão grande".

O tecido flácido que restou iria impedir Mercedes de se locomover, então, os médicos fizeram uma reconstituição abdominal para que ela voltasse a caminhar normalmente. O tumor foi qualificado como benigno pelos médicos e a operação durou cerca de 4 horas e foi bem sucedida

Veja no Youtube o vídeo das fotos da cirurgia:

A cirurgia para a retirada do tumor da Mexicana Mercedes Talamante, que já se encontrava a 5 anos dentro dela, foi complicadíssima, e tem um vídeo muito interessante no Youtube com as fotos do procedimento cirúrgico, vale a pena conferir:

Uma ótima dica dos médicos para todas as pessoas é que sempre quando se notar algo anormal no corpo, não é para ficar em casa deixando o tempo passar, o ideal é marcar uma consulta com o médico, pois se demorar muito tempo pode acontecer algo pior.

Publicidade

O caso acima mostra uma pessoa que ficou 5 anos sofrendo, mas poderia ter evitado isso se tivesse logo procurado um especialista. #Blasting News Brasil