Pelo menos quarenta e duas pessoas morreram nesta manhã de sexta-feira num dos piores acidentes registrados na França. A maioria das pessoas envolvidas são idosas. O acidente ocorreu numa estrada secundária perto de Libourne, em Puisseguin a nordeste de Bordéus. Estima-se que este tenha sido o acidente mais mortal ocorrido na França desde o ano de 1982. 

Um caminhão que transportava madeira saiu da pista e bateu em um automóvel onde seguiam muitas pessoas idosas. Os dois veículos começaram a pegar fogo. Existem, no entanto, muitos feridos graves, o que significa que o número de mortes pode vir ainda a aumentar nestes primeiros dias após o acidente.

Publicidade
Publicidade

Estas horas serão cruciais para muitas pessoas feridas neste acidente.

Neste momento, estão registados cinco ferimentos das quais quatro em estado muito grave. Apenas três pessoas conseguiram não sofrer qualquer dano resultante do acidente ocorrido na França. O condutor do caminhão e do carro morreram de imediato. 

Segundo o jornal português Correio da Manhã, todas as vítimas, das quais algumas morreram queimadas, têm nacionalidade francesa. O veículo transportava no total quarenta e nove pessoas.

Yvette Seguy, uma das testemunhas do acidente que vive muito próximo do local onde o acidente ocorreu, disse à estação de televisão i-Tele que tinha visto uma nuvem de fumaça na curva perigosa onde ocorreu o acidente. Essa curva é conhecida como "la Fontaine du Renard (Fonte da Raposa)".  

As pessoas idosas que seguiam tinham partido para uma excursão logo de manhã da vila Petit-Calais-Cornemps que se situa a poucos quilómetros do local onde ocorreu o acidente.

Publicidade

Tinham como destino a região dos Landes, mais a sul, na costa Atlântica. As razões do acidente que envolveu os dois veículos ainda são desconhecidas.

Pierre Dartout é o presidente da câmara e deslocou-se ao local do acidente assim que soube do ocorrido. Tentou ajudar coordenando o socorro. Um dos dois veículos terá ficado atravessado no meio da estrada e o outro acabou por não conseguir fazer nada para evitar o acidente.  #Europa