O ano de 2015 está sendo um marco importante para a política externa do país no que diz respeito a outras nações que passam a permitir a entrada de cidadãos brasileiros sem a necessidade de autorizações ou mesmo vistos obtidos em suas embaixadas e consulados em território nacional. O último exemplo disto foi a Geórgia, uma das ex quinze Repúblicas Socialistas Soviéticas que agora mesmo em 2015 se tornou o 66.º país a estabelecer acordo bilateral com o Brasil para a livre circulação de cidadãos e turistas em geral entre si e tudo isto sem visto ou necessidade de autorização especial. 

Para os brasileiros adeptos de viagens internacionais isto é uma ótima notícia, pois ainda hoje se locomover para determinados países é a mesma coisa que enfrentar situações ultrapassadas e ao mesmo tempo ainda vivas de burocracia aborrecedora, perda de tempo e até maus tratos por partes de agentes consulares mal preparados.

Publicidade
Publicidade

Tudo o que vier a facilitar legalmente o ingresso dos brasileiros é sempre bem vindo como a não emissão de vistos, o que está sendo o caso da Geórgia e mais 65 países em questão.

Por outro lado, isto não significa literalmente que todos os entraves foram extintos por completo no que se refere a fixação dos turistas nos países em questão, o que depende de local para local. À exceção dos países que compõem o Mercosul (Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela), onde os nascidos no Brasil estão autorizados a entrar unicamente com o Registro Geral ou carteira de identidade, para os demais países que não obrigam a apresentação do visto, não se traduz a não exigência necessariamente em burocracia zero.

Enfim, determinados países se reservam ao direito de solicitar algumas garantias como a confirmação de hospedagem, tíquetes aéreos de retorno ao Brasil e algo que comprove que o indivíduo tenha dinheiro o bastante para se manter no país enquanto permanecer por lá.

Publicidade

Um outro detalhe importante, é que a não exigência de visto fica válida somente para viajantes com estadia temporária ou de três meses geralmente; entretanto, isto muda de país para país

Os ingressos para estudantes, trabalhadores ou futuros residentes brasileiros no exterior determinam vistos previamente específicos para tal. Por enquanto, os mochileiros, turistas e demais viajantes podem entrar sem receio nos 66 países discriminados a seguir conforme informações do Ministério de Relações Exterior do Brasil (Itamaraty), mas sempre estando precavidos com alguma exigência específica e adicional: África do Sul, Alemanha, Andorra, Antilhas Francesas, Argentina, Áustria, Bahamas, Barbados, Bélgica, Bolívia, Bósnia, Guiana, Bulgária, Chile, Colômbia, Coréia do Sul, Costa Rica, Croácia, Dinamarca, Equador, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Filipinas, Finlândia, França, Geórgia, Grécia, Guatemala, Honduras, Holanda, Hong Kong, Hungria, Irlanda, Islândia, Israel, Itália, Liechtenstein, Luxemburgo, Malásia, Marrocos, México Mônaco, Namíbia, Noruega, Nova Zelândia, Panamá, Paraguai, Peru, Polônia, Portugal, Reino Unido, República Tcheca, Romênia, Rússia, San Marino, Sérvia, Suécia, Suíça, Suriname, Tailândia, Trinidad e Tobago, Tunísia, Turquia, Ucrânia, Uruguai, Vaticano e Venezuela.

Publicidade

#Educação #Trabalho #Turismo