Todo descendente de italiano em algum momento da vida já ouviu - ou vai ouvir - falar sobre a possibilidade da obtenção da dupla cidadania ítalo-brasileira.

A possibilidade de se tornar um cidadão europeu, podendo usufruir dos mesmos direitos e deveres das pessoas que nasceram em países da #Europa, ainda não é conhecida por grande parte dos brasileiros descendentes de italianos, já que muitos se confundem e acreditam que só tem direito à dupla cidadania quem carrega o sobrenome italiano, ou que a mesma é restringida por algum número de gerações.

O fato é que sobrenome e número de gerações não têm nada a ver com a obtenção da cidadania italiana, pois a mesma é a mais abrangente quando o critério é o número de gerações e o sobrenome é só um mito, já que, desde 1992, a cidadania italiana é fundamenta no “jus sanguinis”, cuja tradução é direito de sangue.

Tem direito a reconhecer a cidadania italiana todo cidadão com descendência via paterna e materna.

Publicidade
Publicidade

Para a descendência via paterna não há restrição no número de gerações, como, por exemplo, pode ser neto, bisneto, trineto, tataraneto de um italiano. Já a cidadania italiana transmitida via materna é um pouco limitada, e só dá direito aos filhos e filhas de mulheres italianas que nasceram após o dia 1 de janeiro de 1948, dia que entrou em vigor a constituição italiana.

Porém, desde o ano de 2007, uma nova mobilidade tem sido realizada para a obtenção da cidadania italiana via materna, que é feita por meio de um processo judicial feito diretamente na Itália. Até o momento, todos os processos judiciais para descendentes de mulheres italianas, nascidas antes de 1 de janeiro de 1948, estão sendo positivos, e, em média, levam 2 anos para sua conclusão.

Todos os processos para o reconhecimento da cidadania italiana são feitos administrativamente pelo Consulado Geral da Itália no Brasil, e podem demorar entre 3 anos, como é o exemplo do estado do Rio de Janeiro, e até 10 anos para os processos feitos no estado de São Paulo.

Publicidade

A demora é devido ao intenso número de pedidos.

Já os cidadãos que possuem tempo e dinheiro, podem investir numa maneira mais rápida para a conclusão do processo, que é realizar o reconhecimento diretamente na terra da macarronada, a Itália. Os processos feitos diretamente na Itália duram cerca de 3 meses, no entanto, o investimento é muito maior do que o processo feito no Brasil.  #Curiosidades #Blasting News Brasil