Um bebê de dois meses morreu durante a noite, após adormecer no sofá junto com sua mãe, se ouviu no tribunal de Norhampton, na Inglaterra, nessa quarta-feira, dia 28. É o segundo caso em quinze dias que passa nesse tribunal relacionado com mortes de bebês durante o sono, do lado dos pais.

Para o médico legista do tribunal, não se pode garantir que foi por dormir com a mãe que o menino morreu, mas ele alerta para os perigos de isso acontecer, pedindo para os pais não fazerem mais isso. 

É um pedido que está passando na #Europa, com os médicos sensibilizando os pais que esse aconchego com os bebês durante o sono pode ser fatal.

Publicidade
Publicidade

No tribunal, Dawn Goodacre contou o que se passou na noite de 19 de dezembro do ano passado. A mãe, de 33 anos, deu o peito para o menino e se deitou no sofá abraçada a ele, para não perturbar o companheiro que trabalhava de noite.

Antes de dormir, o casal contou que ela tinha bebido dois copos de vinho. Durante à noite, acordou para voltar a amamentar Henry, saiu para beber um pouco de água e pegar um cigarro. Voltou para o lado do menino e seriam seis horas da manhã a última vez que esteve acordada com o bebê, para trocar sua fralda. 

Depois, acordou as nove e meia, beijou seu bebê e notou que o menino estava gelado. Gritou por ajuda e foi o pai do bebê, Kieron Whitehouse, a chamar ajuda. Os paramédicos chegaram rápido e fizeram todas as manobras, tentando reanimar o menino, mas foram incapazes de devolver ele a vida. 

O médico patologista contou no tribunal durante esta quarta-feira que Henry pode não ter morrido por dormir junto da mãe.

Publicidade

Ele falou que o bebê tinha uma hemorragia na face e algumas lesões nos pulmões, rins e coração, mas nada que denuncie maus tratos. No entanto, contou que a ingestão de álcool pode prejudicar muito em um bebê tão pequeno. 

Porém, tanto o médico patologista que observou Henry, como o médico legista do tribunal de Norhampton, concluíram que, mesmo não ficando provado que o menino morreu por dormir com sua mãe, essa é uma decisão muito perigosa que os pais estão tomando e alertam para o risco de o bebê sofrer com obstrução das vias aéreas, por amassamento ou superaquecimento. "É meu dever informar que dormir com um bebê não é seguro", falou o médico legista, citado pelo jornal Daily Mail

Somente duas semanas atrás, no mesmo tribunal, se assistiu o inquérito de uma bebê de onze semanas que ficou entalada na cama, enquanto dormia com seu pai, que encontrou ela morta quando acordou. Duas razões bem fortes para o tribunal estar tentando sensibilizar os pais a não dormirem na mesma cama ou sofá que seus filhos pequenos.  #Família #Blasting News Brasil