Um oficial de recursos de uma #Escola na Carolina do Sul (#EUA) foi colocado em licença administrativa remunerada nesta segunda-feira (26) depois que o vídeo veio à tona mostrando de maneira nítida uma estudante do ensino médio sendo jogada no chão de uma sala de aula.

O incidente gerou revolta e foi gravado por meio de um telefone celular de um dos estudantes que nada pode fazer. O vídeo foi mostrado no Spring Valley High School, em Columbia. A qualidade não ficou muito boa, mas deu para entender a situação.

Confira o vídeo:

Ben Campos, o oficial identificado pelo jornal "The State", vai continuar operando no departamento durante a investigação, porém, não poderá exercer nenhuma função em escolas da área.

Publicidade
Publicidade

O jornal informou que Campos foi um dos dois oficiais de recursos empregados pela escola.

O vídeo mostra Campos pedindo a menina para subir na mesa da sala de aula. Outro adulto está de pé nas proximidades. Esse adulto, vendo que a estudante não atende ao seu pedido e permanece sentada, reage envolvendo o pescoço da aluna em seu antebraço.

O oficial então empurra a cadeira e a mesa para trás até que ela se lança no chão. Em seguida, ele joga a estudante vários pés pelo chão até a frente da sala de aula onde Campos ordenou as mãos atrás das costas e as algemas foram colocadas.

O Departamento de porta-voz do tenente e xerife Curtis Wilson disse ao jornal que antes do incidente retratado no vídeo, a aluna foi convidada à sair da sala de aula e se recusou. Ela e um outro estudante foram detidos por perturbar a paz.

Publicidade

A estudante foi mais tarde entregue a seus pais.

Wilson acrescentou que nem o oficial, nem o estudante, ficaram feridos no incidente. Em entrevista coletiva posterior nesta segunda-feira, o porta-voz disse que o xerife tinha visto o vídeo e "ficou muito perturbado com o que viu".

Segundo o comunicado do prefeito de Columbia, Steve Benjamin, ninguém pode e não aceitará esse tipo de comportamento de qualquer agente da lei e ainda acredita que é necessário uma investigação independente para chegar ao fundo deste incidente e ver qual é a atitude certa a ser tomada. #Blasting News Brasil