A morte da cadela Diesel, depois de um tiroteio entre as autoridades francesas e onze terroristas, em uma cidade próxima de Paris, está emocionando o mundo. Tal como informa o site “Notícias ao Minuto”, o grupo “Anonymous”, capaz de neutralizar e parar o avanço do Estado Islâmico, falou em vingança depois de saber que um animal completamente indefeso também foi uma das vítimas recentes dos ataques na França pelo #Estado Islâmico. Em um comunicado emocionado, um dos responsáveis pelo grupo secreto prometeu que as vidas perdidas, incluindo as de Diesel, vão ser vingadas o mais rapidamente possível.

“Nós sabemos que temos poder para ajudar e é isso que pretendemos fazer.

Publicidade
Publicidade

Todos nós amamos as pessoas, a Diesel, Paris e também o Líbano. Prometemos nos erguer por vocês e vamos fazer de tudo para colocar um final ao Estado Islâmico. Agradecemos muito o apoio que temos recebido”, escreveu um dos responsáveis pelo Anonymous, em um comunicado divulgado pelo jornal “Mirror”.

Na mesma publicação, o jornal inglês afirmou que a cadela acompanhava sempre as autoridades francesas e que ontem, dia 18 de novembro, foi muito importante para conseguir parar um grupo do Estado Islâmico que já estava preparando um novo ataque em Paris. Teria sido quando uma das terroristas utilizou uma bomba para explodir e se suicidar que a valente cadela Diesel perdeu a sua vida, em um momento naturalmente muito triste para os policiais que conviviam com o animal regularmente.

Rapidamente a história da morte da cadela-polícia se tornou viral e, tal como todo o mundo, também o grupo Anonymous não ficou indiferente a essa morte, prometendo vingar a morte do animal e de todos os que morreram nos últimos dias por causa dos atos do Estado Islâmico.

Publicidade

Em uma morte que toca o coração de todos, um animal pode muito bem ser o que faltava para o único grupo do mundo capaz de neutralizar os avanços do Estado Islâmico, conseguir de uma vez por todas juntar o máximo de hackers possível para eliminar a que é a maior ameaça para o Ocidente. #Terrorismo #Europa