Os franceses ficaram paralisados na noite desta terça-feira, 24. Isso porque uma ocorrência policial com reféns ainda está em curso até o fechamento desta reportagem, por volta das 19h40 no horário de Brasília. O incidente acontece na cidade de Roubaix, localizada no Norte da França e próxima à fronteira do país com a Bélgica. De acordo com informações transmitidas ao vivo pela BBC, existem pessoas feridas por tiros no local. 

O incidente em Roubaix assustou ainda mais os franceses porque a cidade é a que tem o maior número de muçulmanos na pátria que faz parte da zona do euro. Por enquanto, o caso é tratado com muita cautela pela polícia francesa.

Publicidade
Publicidade

Segundo informações do canal France 2, os profissionais de segurança evitam falar em terrorismo. 

Já o canal iTelé diz que bandidos tentaram assaltar um banco ou uma residência, mas foram surpreendidos pela polícia. Em seguida, eles trocaram tiros com os profissionais de segurança. A mesma informação foi passada pela agência de notícias AFP, que entrevistou o prefeito da região. Segundo ele, trata-se de um assalto mal-sucedido com reféns. A Reuters diz que um diretor de um banco local e sua família estariam sendo feitos reféns na operação. 

Apesar do caso não ser tratado como terrorismo, policiais do chamado RAID, o pelotão antiterror da França, estão no local. Foram esses os profissionais de segurança chamados ao Bataclan, a casa de shows que teve centenas de reféns há duas semanas.

O caso acontece em um momento em que França e Bélgica estão em alerta máximo contra os ataques terroristas.

Publicidade

No último dia 13, ataques coordenados pelo Estado Islâmico deixaram 130 mortos e 350 feridos. Depois da ofensiva terrorista, a França lançou bombas em bases comandadas pelo Estado Islâmico na Síria. O país teve o apoio de outras potências. 

Os ataques aconteceram poucos meses depois de um jornal satírico francês também ter sido alvo de bombas do Estado Islâmico. Cartunistas foram assassinados na incursão por terem feitos charges criticando o fanatismo religioso.  #Crime