Embora nenhum grupo terrorista tenha assumido a autoria dos ataques dessa sexta-feira em Paris, na França, testemunhas e jornalistas informam que eles gritavam 'Allah Akbar' enquanto disparavam contra os inocentes da cidade. Em tradução livre, a expressão significa 'Allah é grande'.

Os ataques ocorreram em vários pontos de Paris. Atiradores, a maior parte deles encapuzados, segundo testemunhas, dispararam contra pessoas em bares e estabelecimentos comerciais. Dentro da casa de shows 'Bataclan', testemunhas que conseguiram fugir contam que homens armados com metralhadores invadiram o local durante a apresentação de um espetáculo e alvejaram os presentes brutalmente, matando diversas pessoas.

Publicidade
Publicidade

Segundo autoridades policiais, os criminosos estão com pouco mais de cem reféns nesse momento.

Abaixo segue a informação em primeira mão passada pelo consolidado meio de comunicação 'France 24':

No momento dos disparos contra o Bataclan, ocorria um show da banda californiana 'Eagles of Death Metal'. Foram cerca de cinquenta disparos durante aproximadamente dez minutos. Os homens também adentraram um restaurante e começaram a atirar em seguida. Sobreviventes que estavam na parte externa do estabelecimento contam em entrevistas para telejornais o pânico que viveram para se salvar dos encapuzados.

O governo francês colocou o exército nas ruas e cerca de onze bairros estão tomados por policiais e homens do exército.

Publicidade

Há muita correria e pessoas mortas ou feridas nas calçadas e estabelecimentos comerciais. Franceses usaram a internet para oferecer abrigo às pessoas que estão nas ruas sem saber para onde ir em meio à confusão. As pessoas solidárias utilizam a hashtag #PorteOuvert que significa 'Porta Aberta'.

Essa é a primeira vez, desde os ataques terrorista contra o 'World Trade Center' que a imprensa mundial se mobiliza para fazer a cobertura de atentados terroristas. Além disso, autoridades mundiais já manifestaram apoio à França, incluindo primeiros ministros e Obama.

Publicidade

O governo francês decretou estado de urgência e pediu que ninguém saísse às ruas até que a situação se resolvesse. Milhares de pessoas ficaram em um estádio, pois no momento das primeiras explosões ocorria um amistoso de futebol entre França e Alemanha.

A imprensa portuguesa e francesa aponta que o ISIS seja o responsável pela autoria dos atentados à Paris. #Terrorismo #Ataque #Violência