As atrizes Sadaf Taherian e Chakameh Chamanmah viram-se obrigadas a sair do paìs em que nasceram porque cometeram um grande crime, segundo as autoridades, que as chamaram de "imorais". Elas ousaram publicar algumas fotos na internet sem o uso do véu islâmico e também foram proibidas de atuar.

Atualmente Taherian está abrigada na cidade vizinha, Dubai, e confessa que seu gesto foi uma forma de protesto. Ela diz que ficou bastante surpresa por ter sido vitima de assédio apesar do drama que está vivendo.

A outra atriz que provavelmente está nos EUA preferiu não se pronunciar.

Em entrevista concedida ao programa "Tablet", do canal em lingua persa de 'A Voz da América', Taherian afirmou ter ficado triste com a reação da população iraniana.

Publicidade
Publicidade

"Minha própria cultura, minha gente, não esperava ouvir tantos insultos. Sinto pena dessas pessoas, não há mais o que ser dito", declarou.

No momento, a atriz está em cartaz com o filme "Asre Yakhbandan" (idade do gelo). Em entrevista a Masih Alinejada, a mesma que publicou suas fotos no Facebook e Instagram, a estrela contou que isso foi um protesto pelas leis tão rigorosas do Irã, onde as mulheres são obrigadas a andar com a cabeça coberta.

Taherian não é a primeira mulher a ser contra essa lei no Irã. Desde 2007, Alinejad ativista que está exilada lançou a campanha "Minha liberdade oculta", nas redes sociais, dezenas de iranianas postaram fotos sem o véu.

Chamanmah também foi ofendida com comentários machistas alguns dias depois, ao postar fotos com os cabelos soltos.

Reação fulminante

Conforme declarações do porta-voz Hosein Noushabadi, as duas deixaram de ser artistas, do ponto de vista do Ministério.

Publicidade

"Elas não tem mais autorização para continuar atuando", afirmou.

Na República Islâmica, um ano após sua instauração em 1979, existe uma lei que obriga toda mulher do Irã, independente de sua nacionalidade ou religião, sempre que se mostrar em público estar com os cabelos e o corpo cobertos.

O 'hijab' ou véu islâmico acabou transformando-se num símbolo do regime imposto pelo aiatolá Khomeini.

  #Cinema #Beleza #Ataque