Em meio há tantas lágrimas e sangue inocente derramado em Paris na noite de ontem, surge uma boa notícia: o brasileiro que levou três tiros nas costas e que precisou passar por cirurgias de emergência está fora de perigo. Uma estudante brasileira que jantava com ele e outros amigos no local, também foi ferida de raspão, mas passa bem.

Gabriel é arquiteto e foi à Paris para participar de eventos profissionais de arquitetura. Enquanto jantava, jihadistas adentraram o local com armas automáticas e fizeram dezenas de disparos, matando catorze pessoas e ferindo o restante. Algumas pessoas que se encontravam nas mesas do lado externo do restaurante conseguiram fugir.

Publicidade
Publicidade

Gabriel levou três tiros e teve o pulmão perfurado. Passou por duas cirurgias nessa madrugada, uma na tíbia e outra no pulmão, e passa bem, segundo informações do Consulado do Brasil na França.

O brasileiro ficará internado na UTI por alguns dias e depois será transferido para outra unidade. Se não tiver nenhuma complicação, somente daqui duas semanas estará liberado para embarcar de volta ao Brasil. Apesar de parte de seu pulmão ter sido atingido, os médicos garantem que isso não afetará a sua saúde no futuro.

Dados oficiais da policia francesa informam que houve cento e vinte e nove mortos, entretanto, testemunhas alegam que o número ultrapassa cento e cinquenta. O local onde houve mais mortes foi em uma casa de shows. O governo francês informou que existem, oficialmente, trezentos e cinquenta feridos, sendo noventa e nove deles em estado grave.

Publicidade

Até o momento Maria Edileuza Fontenele Reis, cônsul geral do Brasil na França, não teve informação de outros brasileiros que possam estar entre os feridos ou vitimas fatais. Além dos brasileiros e dos franceses, já foram confirmadas vitimas de Portugal, Romênia, Espanha e Georgia.

Clima de guerra

Com os #Ataque o presidente francês decretou estado de urgência, mandando fechar as fronteiras do país e restringindo a circulação de pessoas em determinados locais. O país condenou os ataques e prometeu dura repreensão aos terroristas. A França faz parte dos países aliados aos Estados Unidos para atacarem as bases do #Estado Islâmico na Síria e Iraque. #Terrorismo