Um carro construído pelo #Google, que é conduzido sem motorista tinha autorização para andar lentamente nas ruas das cidades, já que está em fase de testes.

Um policial vendo que o veículo trafegava muito devagar causando lentidão no trânsito mandou o que o carro da Google encostasse para ser averiguado, quando ele notou que não havia motorista ficou perplexo. Porém havia um passageiro que estava no banco ao lado do condutor que respondeu as perguntas do oficial. Embora o carro estivesse sendo conduzido sem motorista, a lei estadual requer que uma pessoa esteja presente para ser capaz de intervir, caso saia algo errado, quando a tecnologia é testada em vias públicas.

Publicidade
Publicidade

O oficial quis "saber mais sobre como o carro estava indo tão devagar ao longo da estrada atrapalhando o tráfego," de acordo com uma nota emitida pelo site do departamento policial.

O protótipo em forma de bolha tem dois assentos. Sua velocidade máxima é de 40 Km/h.

"Dirigindo devagar? Nosso carro está respeitando o limite de velocidade do trajeto", escreveu o responsável do projeto de carro “autocondução” do Google em nota em seu site. Ele disse  também que os carros são equipados com sensores de alta tecnologia e grande poder de computação e que nunca receberam uma reclamação de outros motoristas sobre o carro estar trafegando muito devagar.

Outros carros que dirigem sem motoristas que o Google testa nas estradas e rodovias da Califórnia já se envolveram em 17 colisões pequenas desde maio de 2010, segundo a empresa. O Google disse que todas as colisões eram de pequenos estragos e que não foram causados ​​por seus carros.

Publicidade

As colisões aconteceram devido à imprudência dos condutores humanos que não respeitam as sinalizações, segundo a companhia.

 O Google já realizou mais de 3,5 milhões de quilômetros de teste com os protótipos de “auto-condução” e apenas 17 acidentes de pequeno porte aconteceram, segundo o Gigante Google, isso é muito pouco comparado as estatísticas dos condutores humanos.

Representantes de projetos de carros “autocondução” do Google disseram que nos últimos meses vêm tentando programar os veículos para que dirijam mais como pessoas do que como robôs, em parte para reduzir o número de vezes que eles são atingidos por outros motoristas.

A polícia diz que se reúnem regularmente com a gigante de tecnologia Google para garantir que os veículos estejam operando com segurança. #Automobilismo #Curiosidades