A ONU alertou, na última segunda-feira (23), que desde 1995 são mais de seiscentas mil pessoas que morreram devido a catástrofes naturais ocorridas nestes últimos vinte anos. A ONU acrescentou ainda em seu relatório que a este valor é possível se acrescentar 4.1 bilhões de feridos, desalojados ou a necessitarem de imediata urgência médica. No relatório divulgado pela ONU está a importância de se estabelecer um novo acordo sobre alterações climáticas o mais depressa possível para evitar ao máximo a subida destes valores registados nos últimos vinte anos.

A maior parte das mortes registadas (cerca de 89%) são de países em que os rendimentos são bastante reduzidos.

Publicidade
Publicidade

Segundo estes dados, estas catástrofes naturais vêm causando perdas financeiras ainda maiores a esses países, cerca de1.8 bilhões de euros.

Já está marcada uma conferência em Paris (COP21) para tentar adotar medidas para reduzir as catástrofes naturais que se têm verificado nestes últimos anos. A conferência COP21 será realizada ente o dia 30 de novembro e 11 de dezembro em Bourget (perto da capital francesa). O principal objetivo desta conferência, que vai reunir cento e noventa e cinco países no total, é tentar reduzir o o aquecimento climático do planeta. Está previsto para que nesta reunião se consiga fazer um compromisso entre os países com o principal objetivo de conter a subida das temperaturas a 0.2 graus centígrados em relação à temperatura verificada na era pré-industrial. 

De acordo com os dados recolhidos pela ONU, as inundações representam cerca de 47% de todas as catástrofes naturais e afetaram mais de 2.3 bilhões de pessoas.

Publicidade

Cerca de 95% destas pessoas habitavam o continente asiático. As tempestades, embora muito menos frequentes que as inundações, foram consideradas as catástrofes naturais que provocaram mais mortes no total, tendo morrido cerca de 242 mil pessoas.

No topo da lista dos países onde se verificaram maior número de catástrofes naturais encontra-se os Estados Unidos. A China, devido principalmente à sua enorme dimensão territorial, aparece em segundo. #Curiosidades