Esta quarta-feira foram esfaqueados cinco jovens numa universidade da Califórnia (oeste dos Estados Unidos da América). O suspeito acabou por ser morto pelas autoridades locais, evitando deste modo que o responsável pelo #Crime assassinasse mais jovens inocentes da universidade. Estes dados foram confirmados num comunicado emitido pelo centro educacional. A universidade da Califórnia alertou sobre o crime por volta das oito horas locais (14:00 horas em Brasília) através do recurso às redes sociais. Neste alerta, a universidade aproveitou também para informar que se encontrava fechada, de modo que as aulas tinham sido suspensas até tudo ficar resolvido.

Publicidade
Publicidade

Segundo os dados recolhidos pelas autoridades locais, ainda não se sabe a identidade do responsável pelo crime. As autoridades locais balearam-no e, deste modo, o suspeito acabou por morrer logo a seguir ao disparo. Segundo o jornal local "Merced Sun-Star", o responsável pelo crime era um jovem do sexo masculino com idade de vinte anos.

Das cinco vítimas esfaqueadas registadas, duas delas foram levadas por um helicóptero para o hospital que se encontrava mais próximo do local do crime enquanto que as outras três vítimas receberam socorro médico na própria universidade. Segundo os encarregados do centro educacional, todas as vítimas registadas permaneceram conscientes durante o tempo todo.   

A universidade da Califórnia foi inaugurada no ano de 2005 e conta neste momento com mais de seis mil e seiscentos alunos no total.

Publicidade

Logo após o ataque, a universidade foi fechada para as autoridades locais procurarem outras possíveis vítimas presentes na universidade ou até mesmo outros possíveis assaltantes. A universidade inicialmente afirmou que todas as vítimas eram estudantes da universidade mas depois não confirmou esta versão dos factos. Desse modo ainda é desconhecida a razão que levou o jovem de apenas vinte anos a realizar este crime e também se realmente todas as vítimas seriam estudantes da universidade onde ocorreu o crime nesta quarta-feira.  #EUA