Collin Clarke é um jovem especial com 22 anos. Natural de Evansville, nos Estados Unidos, Clarke nasceu com síndrome de Down e há um ano tinha um sonho: o de competir em uma competição de natural bodybuilding. Agora ele cumpriu esse objetivo de vida e está se tornando um bom exemplo de motivação para as pessoas com deficiência de todo o mundo.

Há um ano atrás, Collin Clarke tinha vários problemas que iam muito além da sua deficiência. Ele estava em casa, deprimido e com excesso de peso, mas um dia decidiu que queria começar a praticar bodybuilding. Um familiar levou Collin até uma academia em Evansville e ele começou fazendo alguns exercícios.

Publicidade
Publicidade

Numa outra sala, Glenn Ubelhor, um bodybuilder profissional, praticava rotinas e exercícios para uma competição em que ia participar brevemente. Quando Glenn saiu da sala, Collin começou a imitar todos os seus movimentos e rapidamente os dois ficaram amigos.

Collin Clark passou a ser um verdadeiro atleta, alguém muito dedicado e com a ajuda de Glenn, o agora seu novo treinador, começou a apresentar uma grande evolução. Em apenas um ano, ele perdeu 20 por cento da sua gordura corporal e ficou pronto para entrar em uma competição profissional.

No dia 14 de novembro, o agora bodybuilder profissional subiu ao palco ao som da música “Back in Black” da banda australiana AC/DC. Fez a sua rotina durante 60 segundos e não recebeu qualquer tratamento especial, algo que ele e seu treinador pediram expressamente à organização.

Publicidade

No final Collin não poderia estar mais feliz. Ele conseguiu o quinto lugar, uma classificação que premiou a sua dedicação ao longo desses últimos 12 meses.

O seu treinador estava visivelmente emocionado depois da atuação do seu aluno. “Ele não conseguiu apenas melhorias físicas. O Collin melhorou as suas habilidades cognitivas, as suas habilidades sociais e até a sua dicção. Ele provou também a um monte de pessoas que o bodybuilding não é apenas um esporte que se faz por vaidade!”.

No final do evento, Collin ganhou mais alguns prêmios em sua homenagem e revelou ao canal de televisão 14 News, que o seu sonho ainda não terminou “vou continuar a musculação. É o meu sonho. Quero entrar no Arnold Classic. Eu vou continuar fazendo isso!”.

O que você pensa desse exemplo? É da opinião que todas as pessoas com deficiência deveriam praticar esportes? Escreva a sua opinião nos comentários! #Curiosidades #Doença