Krzysztof Charamsa era padre e serviu a Congregação da Doutrina da Fé no Vaticano durante 12 anos. No mês passado, ele decidiu “sair do armário” e dizer ao mundo que é gay. Ontem, Charamsa deu uma entrevista ao “Religion News Service” de Barcelona na Espanha, e não poderia ter sido mais polêmico.

Foi no dia 3 de outubro que, o agora ex-padre polonês, anunciou ao mundo que é homossexual. A data não poderia ser mais simbólica, foi na véspera do sínodo do Vaticano sobre a família, um evento que levou à Santa Sé, bispos de todo o mundo.

Em uma conferência de imprensa, ele criticou duramente a Igreja Católica, chamando-a de “homofóbica”.

Publicidade
Publicidade

A resposta do Vaticano foi rápida. Descreveram as ações do ex-padre como “muito graves e irresponsáveis” e ordenaram ao bispo polaco, Ryszard Kasyna, que excomungasse Charamsa no dia 21 de outubro.

Na entrevista que Charamsa deu ontem em Barcelona, foram várias as declarações polêmicas feitas. Ele assumiu que vivia uma vida dupla. “Chegou uma altura em que eu não poderia continuar assim. Eu não conseguia seguir Jesus de dentro do armário”, afirmou o polonês em Barcelona, cidade onde vive agora com o seu companheiro.

Sobre ter sido excomungado, Charamsa insiste que a sua vocação contínua. “Penso que hoje sou um padre melhor. Hoje sou um padre livre”, diz. O polonês disse também que, quando decidiu assumir a sua homossexualidade, tinha o objetivo de tentar aproximar a #Igreja a outras orientações sexuais, mas reconhece que não teve sucesso.

Publicidade

“Fui tratado como um objeto que se deixa fora. Para o Vaticano, nós, os padres gays, somos tratados como objetos e temos de ser silenciados”, critica.

Sobre a sua vida atual, o ex-padre mostrou-se bastante feliz. Hoje em dia, ele vive em Barcelona, uma cidade que descreve como aberta e tolerante, dizendo ainda que é abordado muitas vezes nas ruas por pessoas que o felicitam pela sua coragem. Krzysztof Charamsa disse ainda que recebe frequentemente cartas de outros padres gays, que o procuram, tanto para o felicitar, como para lhe pedir conselhos.

A esperança no Papa Francisco

Embora Charamsa critique a Igreja Católica, ele afirma ser um esperançoso no carismático Papa Francisco. O polaco é da opinião de que o Papa tem demonstrado muito mais abertura a homossexualidade do que os seus antecessores dentro da Igreja, no entanto, ele diz também que, até agora, ainda não houve sinais da parte do Papa em tentar mudar a doutrina da Igreja quanto a esta questão.

Concorda com a forma como o Vaticano tem tratado esses casos? Dê a sua opinião nos comentários! #Curiosidades #Religião