Que os radicais islâmicos do EI ensinam crianças desde muito cedo a cometerem atrocidades em nome de Allah e até se matarem por ele, todo mundo sabe. Mas o que muitas nações não se deram conta é que nem todo terrorista nasceu em um berço extremista do islã. Muitos estiveram ou podem estar bem próximos de você, sem qualquer suspeita.

Perfis dos terroristas

Os homens e mulheres portuguesas que se envolvem com o #Estado Islâmico por livre e espontânea vontade possuem os mais diversos perfis: ex-atletas, pessoas com nível superior, gente jovem, bem vestida, frequentador de bons restaurantes e adeptos à vida noturna portuguesa.

Publicidade
Publicidade

Isso faz deles pessoas 'livres de toda e qualquer suspeita'. Por alienação ou por raiva devido a algum trauma, essas pessoas querem deixar seus diplomas e regalias para trás e abraçar a 'causa' extremista.

Muitos extremistas portugueses cresceram em uma vida de luxo ou simplesmente a adquiriram após se envolver com o ISIS. Alguns deles são o que na América chamam de 'playboy', ou seja, alguém 'bem de vida' que até poderia entrar para a vida criminosa, mas que jamais alguém imaginaria que seria com execuções cruéis de quem não segue a Shari´a.

Ano passado, o Ministro de Negócios Estrangeiros de Portugal anunciou a existência de pelo menos quinze pessoas com passaporte português que tinham sido descobertos por autoridades como novos membros do Estado Islâmico. Outros foram vistos em vídeos oficiais dos terroristas, incluindo o famoso casal Fábio e Ângela, que abandonaram Portugal para virarem combatentes do EI como Abdul e Umm.

Publicidade

Como novos membros em Portugal são aliciados

Nesse momento, milhões de pessoas em todo o mundo estão conectados na internet. Muitas delas, acessam conteúdos violentos, seja por acaso, por curiosidade ou por possuírem pensamentos tão negativos quanto o que estão acessando. O fato é que o Estado Islâmico possui sua 'bandeira' em alguns desses sites e ainda possuem a revista 'Dabiq' que mostra de maneira detalhada como ocorre a sua 'ação humanitária' ao 'defender-se' de seus 'inimigos' e ainda 'salvar' as pessoas 'boas' das 'ruins'.

O grupo promete dinheiro, 'santidade' e uma vida promiscua após a morte. Seu conteúdo seduz jovens que acreditam que serão ricos, poderosos e garantirão um lugar no 'céu'.

Por mais conservadores que os radicais aparentem ser, a verdade é que acreditam que ao morrer por Allah, terão no mínimo 80 mil servos ao seu dispor, além de 72 mulheres. Já as mulheres que se 'alistam' vão por propostas de 'casamento': Serem ricas, bem sucedidas e terem um bom marido guerreiro, além disso, se morrerem por Allah, serão noivas dele.

Publicidade

A maior parte delas são violentadas por vários jihadistas ao chegar no território do EI, outras viram combatentes. Embora não tenham obtido certeza sobre o envolvimento de mulheres de Portugal com o EI, o governo estima que existam muitas portuguesas que tenham sido seduzidas e ido para o Oriente Médio ou França, onde há maior facilidade para ter contato com os terroristas. #Terrorismo #Europa