Essa é uma das notícias mais surpreendentes do ano na política internacional. Pela primeira vez em mais de duas décadas, o Secretário-Geral das Nações Unidas, o sul-coreano Ban Ki-moon vai visitar a Coreia do Norte. Uma visita que deverá acontecer em uma semana marcada pelos atentados do Estado Islâmico na França.

O Secretário-Geral das Nações Unidas planeja viajar para Pyongyang, capital da Coreia do Norte, no final dessa semana. A sua visita tem como objetivo principal discutir a situação daquele país relativamente ao seu programa nuclear. No entanto, ainda não é certo que o líder da ONU se encontre com Kim Jong Un, embora uma fonte não identificada tenha praticamente garantido à CNN que esse encontro irá acontecer.

Publicidade
Publicidade

“Será pouco provável que o Secretário Geral da ONU visite a Coreia do Norte e não se encontre com o líder supremo do país”, declarou a fonte.

Apesar das notícias que dão como certa a visita de Ban Ki-moon à Coreia do Norte, o gabinete de informação do líder da ONU não confirma que ela irá ocorrer. “Sabemos que há notícias nesse sentido, mas não fazemos comentários para já”, declarou Eri Kaneko, o porta-voz oficial do Secretário-Geral. E acrescentou ainda em seu comunicado que Ban Ki-moon sempre disse que está pronto para desempenhar um papel para ajudar ao diálogo para que se chegue à estabilidade e à paz na península coreana. Do lado da Coreia do Sul, para já, não há ainda qualquer declaração sobre esse assunto.

O contexto da provável visita de Ban Ki-moon à Coreia do Norte

Essa visita, que deverá acontecer no final dessa semana, será realizada em um momento em que o mundo está lutando contra o terrorismo e procurando tempos mais pacíficos.

Publicidade

Depois do entendimento com o Irã, a ONU parece estar bastante empenhada em alcançar também a paz com o regime norte coreano. Ban Ki-moon chegou a ter uma visita marcada à Coreia do Norte em maio desse ano, no entanto, essa visita foi anulada inesperadamente pelo #Governo de Pyongyang.

Será que novos tempos se aproximam na relação entre aquele país e o resto do mundo?