Nos últimos dias, o mundo recebeu com certo temor a notícia de que militares turcos haviam abatido um caça do exército russo na fronteira entre a Turquia e a Síria. O que muitos temiam se tornar um novo conflito, está começando por onde mais dói no governo turco: a economia do país.

No sábado, 28 de novembro, Vladimir Putin não tirou o dia para descansar e aproveitou para editar sanções econômicas contra a Turquia. A medida proíbe voos charter entre Turquia e Rússia e a venda de passagens para esses destinos. Como se não bastasse, Putin determinou que a compra de vários produtos turcos sejam suspensas por tempo indeterminado.

Publicidade
Publicidade

A partir de agora, as empresas turcas que se encontram instaladas na Rússia, bem como a contratação de funcionários turcos por empresas russas passará a seguir um rígido processo de restrições. O governo prometeu divulgar nos próximos dias uma lista com cargos, empresas e bens que serão diretamente afetados com a nova medida.

Dentre os afetados, podem estar cerca de duzentos mil turcos que trabalham e estudam em Moscou e região. A Turquia vende grande variedade de produtos para serem revendidos e consumidos na Rússia: alimentos diversos, produtos têxteis e agrícolas.

O governo turco de Tayyip Erdogan chegou a anunciar que o encontro mundial da Cúpula do Clima em Paris, que acontecerá na próxima segunda-feira, 30, seria uma oportunidade para se acertar com Moscou. Putin assinou o decreto antes do evento a fim de mostrar-se firme, mesmo diante de um pedido de desculpas oficial de Tayyip Erdogan.

Publicidade

Caças turcos abatem caça russo

Na terça-feira, 24 de novembro, dois caças turcos abateram um caça russo por este ter adentrado o espaço aéreo turco cerca de dez vezes em cinco minutos. Segundo os militares, todos os avisos enviados aos russos foram ignorados. Para evitar um possível ataque, os militares acabaram abatendo a aeronave oficial da Rússia. Em sua defesa, Putin alegou que a versão turca não condiz com a verdade e que o caça russo nunca representou nenhum perigo para o país governado por Erdogan. Para completar, Vladimir deixou claro que o ato turco contra o caça russo teria "sérias consequências" - quatro dias depois editou o decreto. Acredita-se que mais represálias virão pela frente. #Terrorismo #Europa