Os ataques em Paris assustaram o mundo inteiro e fizeram com que as grandes nações mudassem o foco na reunião do G20 que foi realizada na Turquia. A principal preocupação dos líderes das maiores nações é com o poder do Estado Islâmico e o avanço que ele vem tendo em várias regiões pelo mundo.

Dilma Rousseff admitiu que o Brasil corre sim, o risco de ser alvo dos ataques terroristas. A presidente do Brasil disse que o #Terrorismo precisa ser combatido urgentemente, mas não de forma individual e assim coletiva, com todos os países unidos.

A presidente mudou completamente de posição, pois antes ela condenava os ataques americanos e defendia o diálogo, mas após os atentados realizados em Paris, ela agora quer os países combatendo os terroristas em um #Ataque conjunto e teme pela segurança do Brasil.

Publicidade
Publicidade

Nas redes sociais, Dilma foi muito criticada por declarar guerra ao terrorismo já que nosso país não consegue sequer acabar com as "guerras" internas, não tem força para combater a criminalidade, não tem infra-estrutura para resolver seus problemas internos e as fronteiras brasileiras estão totalmente abertas para quem quiser entrar.

Dilma aproveitou para se referir à política interna do Brasil e condenou as especulações sobre o ministro Levy e defendeu novamente a CPMF, que ajudará o país a deixar a crise e garantir novas obras para população, além de ficar com a economia estabilizada.

"Eu sou a Dilminha paz e amor!", terminou a presidente querendo mostrar que está tranquila e que o Brasil está no caminho certo seguindo as metas por ela apontadas.

Nas redes sociais muitos criticaram o depoimento da Dilma, que ao mesmo tempo que fala em atacar o Estado Islâmico, fala sobre a crise que assola o país, deixando claro que o Brasil passa por um momento difícil, sem dinheiro sequer para as obras necessárias à população e Dilma estaria querendo gastar dinheiro em uma guerra que já conta com a participação das grandes potências mundiais.

Publicidade

A maior preocupação da presidente no momento é quanto às Olimpíadas que estão se aproximando e para ela o Brasil precisa aprovar de forma urgente a "Lei Antiterrorismo", para garantir que possíveis ataques no país possa ser evitados.

Em breve, os olhos do mundo estarão voltados para os jogos no Brasil que receberá atletas de vários países e os terroristas terão aí uma ótima oportunidade de realizarem os seus protestos cruéis.

Em 2016, o país abre suas portas para pessoas do mundo inteiro e com os ataques a Paris fica claro que os terroristas estão de plantão, planejam seus ataques com antecedência e neste exato momento já podem estar infiltrados no território brasileiro preparando algum ato que irá colocara vida de milhares de pessoas em risco.

"Temos de aprovar a lei antiterrorista para o Estado estar vigilante. Mas não podemos dizer, o que não é real, que estamos no centro desta questão", disse #Dilma Rousseff se mostrando contraditória e totalmente despreparada para enfrentar o problema.

Publicidade

Em Paris foram mais de 120 mortos e muitos feridos. Um ataque terrorista no Brasil pode trazer consequências jamais vistas em qualquer outra região do mundo e é justamente por isto que os brasileiros estão nas redes sociais protestando contra a presidente Dilma que fica desafiando o Estado Islâmico em um evento de importância mundial, para o qual toda a imprensa está voltada.

Você acha que o Brasil deve se envolver na guerra contra o Estado Islâmico, ou é melhor cuidar primeiro dos problemas internos?